Duas mulheres relatam casos de assédio sexual de Trump ao ‘NYT’

Jessica Leeds e Rachel Crooks afirmaram ao jornal americano que Donald Trump fez com elas os atos que descreveu em vídeo de 2005

Por Da redação - 12 out 2016, 21h21

No último domingo, durante o segundo debate presidencial americano, o candidato republicano Donald Trump garantiu que nunca fez, de fato, as coisas descritas por ele em vídeo polêmico divulgado no final de semana, como tentar beijar e tocar as partes íntimas de uma mulher sem permissão. Nesta quarta-feira, duas mulheres vieram a público para desmentir o magnata.

Jessica Leeds, de 74 anos, contou ao jornal New York Times que, no começo da década de 80, quando viajava sozinha na primeira classe para Nova York, foi atacada durante o voo por Donald Trump. O magnata, que viajava no assento ao lado, se apresentou e, durante a conversa, perguntou se ela era casada – Jessica era divorciada.

Após o jantar, ele levantou o encosto de braço e começou a tocá-la. Segundo ela, Trump agarrou seus seios e tentou pegar em suas partes íntimas. Para fugir das investidas, Jessica teve de mudar de lugar. “Foi assédio. Fiquei furiosa e abalada”, disse ao NYT.

LEIA MAIS:
Doadores de Trump pedem dinheiro de volta após vídeo polêmico
Trump se declara livre das ‘algemas’ do Partido Republicano
Após vídeo machista, campanha de Trump sofre debandada

Rachel Crooks tinha 22 quando conheceu o empresário, em 2005. Recepcionista em uma investidora que operava no edifício Trump Tower, em Manhattan, Rachel conta que, ao cumprimentá-la com beijos no rosto no dia em que se conheceram, Trump a beijou na boca. “Não foi sem querer, foi uma violação. Fiquei muito chateada por ele achar que eu era tão insignificante que ele poderia fazer aquilo comigo”, relembra.

Publicidade

Jessica Leeds e Rachel Crooks nunca prestaram queixa contra o empresário, e não são as únicas vítimas. Outras mulheres acusam o magnata de assédio, entre elas Temple Taggart, ex-Miss Utah, que afirma ter sido beijada na boca mais de uma vez pelo empresário, sem seu consentimento, quando participou do concurso, em 1997.

Os ataques descritos são similares às investidas narradas por Trump no vídeo de 2005. “Eu simplesmente beijo. É como um ímã. Simplesmente beijo. Nem espero”. Quando pediu desculpas pelos comentários machistas, Trump afirmou que “foram apenas palavras”, que não se comporta dessa maneira.

Procurado pela publicação nesta quarta-feira, o candidato negou as acusações e se exaltou com a repórter do NYT que o questionou. “Você é um ser humano nojento”, disse o magnata, que prometeu processar o jornal.

Publicidade