Clique e assine a partir de 8,90/mês

Diplomata dos EUA se reunirá com autoridades da Venezuela

Subsecretário de Estado dos EUA para Assuntos Políticos viajou a Caracas uma semana depois de o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, anunciar que quer reduzir as tensões entre os dois países

Por Da Redação - 21 jun 2016, 18h00

O veterano diplomata americano Thomas Shannon, subsecretário de Estado dos EUA para Assuntos Políticos, irá se reunir com autoridades do primeiro escalão do governo e da oposição da Venezuela nesta terça-feira, informou o Departamento de Estado americano uma semana depois de o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, anunciar que quer reduzir as tensões entre os dois países.

“Shannon está viajando para Caracas, Venezuela, onde estará entre 21 e 22 de junho por pedido do secretário (de Estado americano, John Kerry) e a convite do governo da Venezuela”, indicou o Departamento de Estado em comunicado.

Kerry anunciou os planos de enviar Shannon, que foi embaixador no Brasil, a Caracas depois de se encontrar com a ministra venezuelana das Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, nos bastidores de uma reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA) na República Dominicana.

Leia também:

Venezuela inicia validação de assinaturas favoráveis ao referendo

Maduro anuncia que Venezuela iniciará ‘nova etapa de diálogo’ com EUA

Continua após a publicidade

Kerry pede à Venezuela que liberte presos políticos e alivie a escassez

O Departamento de Estado americano afirmou esperar que Shannon se encontre com o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, durante sua visita a Caracas, mas não ficou claro se um encontro foi confirmado.

Um assessor de Henry Ramos, líder opositor da Assembleia Nacional da Venezuela, disse que ele irá se reunir com Shannon nesta terça-feira.

Kerry disse querer levar as relações com Caracas para além da “velha retórica” no momento em que o país sul-americano lida com uma crise política e econômica cada vez mais profunda. A escassez de alimentos e de remédios tem causado tumultos e saques.

Ao iniciar conversas com a Venezuela, Kerry também espera que o gesto dê ensejo a uma mediação internacional entre o governo e a oposição, que está tentando convocar um referendo revogatório para tirar Maduro do poder.

(Com agências EFE e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade