Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Crise humanitária cresce diante do imenso drama japonês

Neve no nordeste do país atrapalha ainda mais as buscas por sobreviventes

Por Da Redação 16 mar 2011, 12h04

Uma forte nevasca atingiu nesta quarta-feira o Nordeste do Japão, já devastado pelo terremoto e tsunami da semana passada. A neve atrapalha os trabalhos de equipes de resgate e aumenta as dificuldades das pessoas, a maioria delas idosas, que ainda permanecem na região.

Em Sendai – que já foi uma cidade, mas agora não passa de uma imensa área devastada e inundada – bombeiros e equipes de ajuda trabalhavam em meio aos escombros para encontrar algum sinal de vida. Mas, assim como em outras cidades, as equipes retiravam apenas corpos e mais corpos.

“O forte cheiro de cadáveres e a sujeira das águas do oceano torna o trabalho de busca muito difícil”, disse Yin Guanhhui, membro de uma equipe de resgate chinesa que trabalha na cidade de Ofunato. “As potentes ondas do tsunami atingiram repetidamente as casas na região. Qualquer um preso sob os escombros se afogaria sem nenhuma chance de sobreviver.”

A imprensa japonesa informou que pelo menos duas pessoas foram retiradas vivas dos escombros, mais de 72 horas depois após o terremoto e o tsunami. Porém, as autoridades responsáveis pelo resgate disseram que a nevasca diminuiu as chances já reduzidas de encontrar mais sobreviventes.

As autoridades estimam que o terremoto e o tsunami tenham matado pelo menos 10.000 pessoas, com milhares de desaparecidos. Até esta quarta-feira, o número de mortes chega a 4.340, de acordo com a rede japonesa de televiisão NHK. Já o total de desaparecidos subiu para 9.083.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade