Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coreia do Sul detecta aumento da atividade nuclear do Norte

Obama chega em Seul na sexta-feira. Segundo a imprensa sul-coreana, Pyongyang poderia realizar uma provocação por ocasião da visita

Por Da Redação 22 abr 2014, 07h58

O Ministério da Defesa sul-coreano detectou um aumento das atividades nas instalações de Punggye-ri, onde a Coreia do Norte já realizou dois testes, e teme que os vizinhos façam um novo teste nuclear em breve. O porta-voz da Defesa sul-coreano, Kim Min Seok, disse nesta terça-feira que a Coreia do Norte “pode realizar um teste nuclear relâmpago em pouco tempo”‘.

O Executivo sul-coreano habilitou um grupo para acompanhar as atividades da Coreia do Norte. Seok adverte que um novo teste nuclear por parte de Pyongyang terá “graves medidas de resposta” da comunidade internacional, mas admite a possibilidade de que a Coreia do Norte esteja fazendo “falsos movimentos” sobre o que seria seu quarto teste nuclear.

Leia também

Coreia do Sul e EUA finalizam manobras conjuntas após tensões com Pyongyang

EUA advertem Coreia do Norte e pedem fim do programa nuclear

O regime de Pyongyang já realizou testes desse tipo em 2006, 2009 e 2013. No final do mês passado, ameaçou fazer um novo teste nuclear, após a condenação do Conselho de Segurança das Nações Unidas por seus múltiplos lançamentos de mísseis de curto e médio alcance. Nos testes anteriores, o regime detonou artefatos atômicos no subsolo em sua base de Punggye-ri, localizada no condado de Kilju. (Continue lendo o texto)

Continua após a publicidade

O anúncio das autoridades sul-coreanas baseia-se na informação coletada em colaboração com os serviços de inteligência americanos e acontece três dias antes da visita oficial do presidente Barack Obama ao país asiático. Obama é esperado na sexta-feira em Seul. Segundo a imprensa sul-coreana, Pyongyang poderia realizar um ato de provocação por ocasião da visita.

Leia mais

Piada com cabelo de Kim Jong-un vira incidente diplomático em Londres

Drone ‘de brinquedo’ da Coreia do Norte cai no Sul

A tensão na península coreana aumentou ao longo dos dois últimos meses por causa das manobras militares conjuntas de Seul e Washington, qualificadas pelo regime de Kim Jong-un como um “ensaio de uma invasão” de seu território.

(Com agências EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade