Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

‘Coração despedaçado’: Imprensa internacional repercute caso Dom e Bruno

Polícia Federal localizou na quarta-feira, 15, remanescentes humanos na área de buscas por indigenista e jornalista inglês, desaparecidos desde o dia 5

Por Da Redação Atualizado em 16 jun 2022, 14h41 - Publicado em 16 jun 2022, 12h05

A Polícia Federal localizou na quarta-feira, 15, remanescentes humanos na área de buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e pelo jornalista inglês Dom Phillips, desaparecidos desde o dia 5 na terra indígena Vale do Javari, no Amazonas. A informação foi confirmada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e pela Polícia Federal.

Os remanescentes encontrados foram encaminhados para identificação nesta quinta-feira e duas pessoas estão presas por suspeita de participação no assassinato. O pescador Amarildo Oliveira, conhecido como Pelado, foi detido no dia 7 e o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, o Dos Santos, foi preso na terça-feira, 14. Segundo a PF, Pelado confessou o crime na noite de terça e se comprometeu a levar os policiais ao local onde enterrou os corpos. A polícia ainda tenta comprovar as circunstâncias e a motivação do crime, mas o pescador alega que eles foram mortos a tiros.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse estar profundamente preocupado com os desaparecimentos e que seu governo está trabalhando com autoridades brasileiras.

“Como todos nesta Câmara (dos Comuns), estamos profundamente preocupados com o que pode ter acontecido com ele. Funcionários do Ministério de Relações Internacionais estão trabalhando em estreita colaboração com as autoridades brasileiras”, disse Johnson aos legisladores.

O caso recebeu grande destaque na imprensa internacional, incluindo em veículos para os quais Dom Phillips colaborava. Veja abaixo algumas das manchetes.

The Guardian

O jornal inglês, para o qual Phillips colaborava, publicou reportagem sobre homenagens feitas por colegas e parentes, que pediram que o ativismo dos dois sirva como inspiração para outros. “Coração despedaçado: familiares prestam homenagem a Dom Phillips e Bruno Pereira”, diz o título.

 

--
Reportagem do jornal britânico The Guardian. 16/06/2022 The Guardian/Reprodução

Além de comunicados de autoridades brasileiras e declarações das famílias, o jornal conversou com Pat Venditti, diretor-executivo do Greenpeace no Reino Unido, que elogiou os dois como “homens corajosos, determinados e apaixonados pelo que faziam”.

Segundo ele, ambos foram “assassinados enquanto faziam o trabalho vital de colocar luz sobre as ameaças diárias que povos indígenas no Brasil sofrem enquanto defendem suas terras e seus direitos”.

Reuters

Com repórteres em Atalaia do Norte, a agência de notícias Reuters relatou que “a notícia marca um conclusão sombria de um caso que soou um alarme global, pairando sobre o presidente Jair Bolsonaro durante uma cúpula regional e criando preocupação no Parlamento britânico”.

“Bolsonaro, que uma vez enfrentou duras perguntas de Phillips em uma entrevista à imprensa por conta do enfraquecimento da aplicação da lei ambiental, disse na semana passada que os dois ‘estavam em uma aventura que não é recomendada'”, diz o texto.

---
Site da agência de notícias Reuters. 16/06/2022 Reuters/Reprodução
Continua após a publicidade

Le Figaro

“Brasil: um suspeito diz que enterrou os corpos dos dois desaparecidos na Amazônia”, diz o veículo francês.

“O presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, que é a favor da mineração e da agricultura de reservas indígenas na Amazônia, foi duramente criticado por chamar a expedição dos dois homens de ‘aventura’ “, afirma o texto, citando também uma entrevista concedida pelo presidente ao canal da jornalista Leda Nagle, na qual diz que o jornalista britânico “deveria ter redobrado os cuidados”. 

--
Reportagem do francês Le Figaro. 16/06/2022 Le Figaro/Reprodução

The New York Times

“Homem confessa assassinato de jornalista e ativista e leva polícia aos restos mortais, diz polícia”, escreve o americano The New York Times. O jornal destaca que “os desaparecimentos são um capítulo particularmente obscuro na recente história sangrenta da Amazônia”.

“O Sr. Phillips dedicou boa parte de sua carreira para contar histórias do conflito que devastou a floresta, enquanto o Sr. Pereira passou anos tentando proteger tribos indígenas e o meio ambiente. Agora parece que o trabalho foi mortal para eles, sinalizando até onde as pessoas vão para explorar a floresta ilegalmente”.

---
Reportagem do New York Times sobre desaparecidos na Amazônia. 16/06/2022 The New York Times/Reprodução

BBC

A BBC, corporação pública britânica de rádio e TV, deu destaque em sua página principal para o caso. No texto, Katy Watson, correspondente para a América do Sul, cita as críticas de que não houve mobilização rápida o suficiente das autoridades em torno do caso e a falta de gratidão aos grupos indígenas que avançaram nas buscas e ajudaram a levar as autoridades a alguns pertences encontrados na água.

---
Página principal da BBC destaca caso Dom Phillips e Bruno Araújo. 16/06/2022 BBC/Reprodução

El País

“Pescador confessa assassinato de Dom Philips e Bruno Pereira na Amazônia brasileira”, diz o espanhol El País, em reportagem destacada na página inicial de seu site.

“Os veteranos da Amazônia não lembram de assassinato de nenhum outro jornalista dedicado à cobertura de questões ambientais na selva tropical, muito menos estrangeiro. As mortes violentas de líderes indígenas e ativistas não são novidade”, escreve Naiara Galarraga Gortázar, correspondente no Brasil.

--
Reportagem do jornal espanhol El País. 16/06/2022 El País/Reprodução

Clarín

“Apaixonado pela Amazônia, sobre a qual escreveu dezenas de reportagens, o jornalista britânico estava na região há dias trabalhando em um livro sobre conservação ambiental e desenvolvimento local”, descreve o jornal argentino Clarín em reportagem. Bruno por sua vez, “era um especialista da agência governamental de assuntos indígenas e reconhecido defensor dos direitos dessas comunidades”.

---
Reportagem do jornal argentino Clarín. 16/06/2022 Clarín/Reprodução
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)