Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Conselho eleitoral confirma vitória de Correa no Equador

Com 56,69% dos votos válidos, atual presidente ganha no primeiro turno

Por Da Redação 18 fev 2013, 04h03

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) confirmou os resultados das pesquisas e deu a vitória nas eleições presidenciais deste domingo ao presidente Rafael Correa, reeleito no primeiro turno. A confirmação veio após a apuração de quase 40% dos votos. “A possibilidade de um aumento significativo ou uma queda significativa do candidato à reeleição é impossível”, disse o presidente do CNE, Domingo Paredes, em entrevista ao canal público Ecuador TV.

Leia mais:

Conselho Eleitoral revela tentativa de invasão de sistema de votação

Os resultados preliminares do sistema de contagem usado pelo CNE atribuem a Correa 56,69% dos votos válidos, contra 24,06% do ex-banqueiro Guillermo Lasso. Eles são seguidos pelo ex-presidente Lúcio Gutiérrez com 5,9% dos votos, o independente Mauricio Rodas com 4,2%, o empresário Álvaro Noboa 3,67%, o ex-ministro Alberto Acosta com 2,62%, o esquerdista Norman Wray com 1,36% e por último o pastor evangélico Nelson Zavala com 1,2%.

O presidente do CNE, Domingo Paredes disse que os resultados finais podem variar em um ou dois pontos percentuais para cima ou para baixo, mas não mais que isso. “Subirá ou cairá um pouco, mas a tendência vai ser mantida”, afirmou.

Vitória esperada – Pesquisas de boca de urna já apontavam a vitória do atual mandatário equatoriano. Segundo uma enquete da Opinión Pública, ele recebeu 61% dos votos, contra 21% do ex-banqueiro Guillermo Lasso, enquanto a Cedatos aponta uma vitória do atual presidente com 61,5%.

Continua após a publicidade

Correa comemorou esses números com abraços em seus colaboradores reunidos no Palácio de Carondelet, sede presidencial, e apareceu na varanda junto com seu candidato a vice, o ex-ministro Jorge Glas, e sua família. Para evitar o segundo turno, o atual presidente tinha que ganhar pelo menos metade dos sufrágios válidos ou 40% deles com uma vantagem maior que dez pontos percentuais em relação ao segundo colocado. “Esta revolução ninguém para, estamos fazendo história. Estamos construindo a pátria pequena e a pátria grande. Obrigado por esta confiança, nunca lhes faltaremos, esta vitória é de vocês”, disse o presidente.

Eleito pela primeira vez em 2007, Correa foi confirmado como presidente em 2009 em eleições antecipadas após a promulgação de uma nova Constituição, como fez anteriormente seu maior aliado, o coronel venezuelano Hugo Chávez. Aos 49 anos, ele completará uma década no poder em 2017 e prometeu radicalizar seu projeto de esquerda, que chama de “revolução cidadã”.

Os equatorianos também elegeram seus representantes no Congresso, mas as pesquisas de boca de urna foram autorizadas apenas para as eleições presidenciais. A grande aceitação do atual presidente é resultado da estabilidade política e econômica, bem como de projetos sociais e de infraestrutura que ele desenvolveu com fundos do petróleo.

Leia também:

Apoiadores de Correa morrem em ato público no Equador

Correa promete manter asilo a Assange se for reeleito

(Com EFE e AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade