Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Congresso evita fechamento do Departamento de Segurança Nacional

Republicanos cogitavam utilizar o financiamento do Departamento para bloquear a implementação da ação executiva de Obama sobre a imigração

Por Da Redação 28 fev 2015, 10h14

O Congresso dos Estados Unidos evitou temporariamente o fechamento parcial do Departamento de Segurança Nacional, ao aprovar uma extensão de uma semana no financiamento da agência. A medida foi confirmada pouco antes do fim do prazo, de meia-noite (horário local). O apoio para o pacto de uma semana foi firmado na sexta à noite, horas após um projeto de lei de gastos de três semanas ter sido derrotado na Câmara dos Deputados, o que foi considerado um duro golpe para os líderes republicanos da Casa.

Após o fracasso do principal plano dos republicanos, os democratas da Câmara ajudaram os líderes do Partido Republicano a encontrar os votos para aprovar a medida de financiamento de uma semana na sexta à noite, em uma votação de 357 a favor e 60 contra. Os líderes republicanos da Câmara trouxeram o projeto de lei de uma semana para plenária sob um procedimento acelerado que exigia uma maioria de dois terços para aprovação. Horas antes, o Senado aprovou o projeto de lei de uma semana por um voto aberto. A Casa Branca disse na sexta que o presidente Barack Obama assinou o projeto de lei.

Por semanas, congressistas republicanos analisaram a possibilidade de utilizar o financiamento do Departamento para bloquear a implementação da ação executiva de Obama sobre a imigração. Em novembro, o presidente disse que iria se desviar do Congresso para emitir autorizações de trabalho e oferecer porto seguro contra deportação para milhões de imigrantes ilegais.

Em janeiro, a Câmara aprovou um projeto de lei que serviria para financiar o Departamento até setembro e bloquear a ação da administração Obama. Ao longo das últimas semanas, o projeto foi bloqueado pelos democratas no Senado e, nos últimos dias, o líder da maioria no Senado, o republicado Mitch McConnell, concordou em trazer para votação um projeto de lei que não incluía a questão de imigração. Este foi aprovado na sexta-feira em 68 votos, a 31.

Os republicanos na Câmara, com a intenção de utilizar a lei de gastos para exigir mudanças de imigração, buscaram mesclar projetos na Casa, mas era improvável que tivessem sucesso. McConnell agendou um voto para a segunda-feira dando início a negociações formais, mas os democratas devem bloqueá-las.

Os republicanos disseram esperar que, na próxima semana, a Câmara deve acabar seguindo o caminho do projeto de lei do Senado, para financiar o Departamento de Segurança Nacional até setembro, sem mudanças de imigração. “Eu não acho que há qualquer alternativa”, disse o deputado republicano Charlie Dent. “Quando estivermos no fim da próxima semana, o que vamos fazer?”

Um assessor do presidente da Câmara, o republicano John Boehner, disse que político não tinha feito nenhum compromisso, mas a líder da minoria, a democrata Nancy Pelosi, afirmou que esperava que a medida de uma semana iria dar tempo para aprovação de um medida de financiamento que cubra o restante do ano fiscal.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade