Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Confrontos no Iêmen deixam pelo menos 21 mortos

Forças do governo e membros de uma tribo se enfrentaram em Sanaa

Por Da Redação 24 Maio 2011, 20h56

Forças leais ao regime de Ali Abdullah Saleh entraram em um violento confronto com membros de uma poderosa tribo, deixando pelo menos 21 mortos na capital do Iêmen, Sanaa. Algumas agências de notícias chegaram a falar em 38 mortes decorrentes do conflito. O incidente ocorre em meio aos protestos que exigem a saída do ditador há quatro meses. De acordo com moradores locais, os ataques tinham como alvo a mansão do líder tribal Sadiq al-Ahmar e, segundo a oposição, podem levar o país a uma guerra civil. Os aliados de Ahmar apoiam as manifestações contra Saleh. “Os confrontos foram violentos. O som de metralhadoras e morteiros podia ser ouvido em todo lugar. Eu vi fumaça saindo da entrada do ministério do Interior”, disse uma testemunha. Já governo iemenita acusou os homens de Ahmar de tentar dar um golpe de estado ao atacar o ministério do Interior e vários outros prédios governamentais e policiais. “O presidente Saleh fez um apelo para que os aliados de Ahmar e as forças de segurança cessem fogo e pediu para os homens armados deixarem os ministérios que estão ocupando”, disse à rede de televisão Al Jazeera o vice-ministro da informação, Abdu al-Janadi. Pelo menos 14 soldados do governo foram mortos, 30 ficaram feridos e dois estão desaparecidos. Do lado dos aliados de Ahmar, sete combatentes morreram, segundo fontes médicas. Contudo, a rede de televisão Al Arabya falou em 24 mortes. Acordo – Os conflitos acontecem dois dias após o fracasso de uma tentativa de mediação do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), na qual Saleh negou pela terceira vez, no último minuto, assinar um acordo em que ele sairia do poder com imunidade. A oposição já havia assinado o mesmo acordo no sábado. (Com agência Reuters)

Publicidade