Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Confrontos em principais redutos do antigo regime líbio

As tropas do Conselho Nacional de Transição (CNT) entraram nesta sexta-feira em Bani Walid, reduto kadhafista localizado 170 km a sudeste da capital, e continuam combatendo em Sirte, 360 km a leste de Trípoli, buscando conquistar esses redutos do regime derrocado de Muamar Kadhafi.

Paralelamente, a Assembleia Geral da ONU atribuiu a cadeira da Líbia ao CNT, e foi anunciado que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reunirá na terça-feira em Nova York com o presidente do órgão político que governa o país, Mustafá Abdul Jalil.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, foi recebido nesta sexta-feira em Trípoli por Abdul Jalil e por Mahmud Jibril, outro líder do CNT.

“Os revolucionários entraram em Bani Walid”, disse à AFP Mahmud Shammam, porta-voz do CNT. Mais tarde, um chefe militar do CNT declarou que suas forças tinham efetuado uma mobilização tática após a incursão no centro da cidade.

“De nada serve manter posições durante a noite em um ambiente hostil”, disse à AFP, em referência ao perigo representado por franco-atiradores.

Em Sirte, cidade natal do coronel Muamar Kadhafi, as tropas do CNT e as forças kadhafistas realizaram violentos confrontos em torno do aeroporto.

O Conselho Militar da cidade de Misrata, a noroeste de Sirte, anunciou que suas tropas tinham entrado na quinta-feira em um setor de Sirte e que nos combates 11 pessoas morreram, 34 ficaram feridas e 40 soldados de Kadhafi foram capturados.

“A ideia hoje é libertar Sirte”, declarou nesta sexta-feira à AFP Adel Agida, que comanda 85 homens da Brigada do Leão, na cidade litorânea de Hasan, 60 km a oeste de Sirte.

“Esperamos tomar o controle de Sirte hoje”, declarou Salah al-Areg, um miliciano da brigada Al-Wadi.

Segundo Sadiq Fayturi, líder logístico da brigada Qabra, a “maioria das brigadas está a cerca de 20 km ao sul de Sirte”.

Em Sirte há franco-atiradores posicionados no telhado das casas, mas a “resistência não é muito forte”, disse à AFP Farah Abdel Kafi, um dos combatentes que entrou em Sirte na quinta-feira.

“Nossos revolucionários entraram hoje em Sirte por três eixos principais” e “chegaram ao centro da cidade”, cujas “entradas foram controladas”, disse na quinta-feira o Comitê Militar de Misrata.

A Otan anunciou nesta sexta-feira que na véspera bombardeou 16 alvos militares na cidade de Sirte, onde, segundo Musa Ibrahim, porta-voz de Kadhafi, os kadhafistas estão determinados “a resistir até a vitória”.

Ibrahim, em declarações concedidas a uma televisão síria, disse na quinta-feira à noite que a Otan vai bombardear as cidades que resistirem, “Sirte, Bani Walid e Sebha”, mas que os kadhafistas “estão muito bem preparados e vão responder à agressão”.

No plano diplomático, Erdogan disse que estava “muito contente em ter sido testemunha da vitória e do advento da democracia na Líbia”, em sua primeira visita a Trípoli após a queda do regime de Kadhafi.

“Falo a Sirte e a Bani Walid, que abracem seus irmãos e se unam aos outros líbios”, afirmou em uma convocação aos kadhafistas, após participar da oração semanal na Praça dos Mártires.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta sexta por unanimidade uma resolução que suspende parcialmente o congelamento dos bens líbios e prevê o envio de uma missão para ajudar o novo governo a organizar eleições e redigir uma nova Constituição.

O Conselho saudou no texto aprovado “uma melhora da situação” na Líbia e expressou sua determinação de assegurar que os milhões de dólares em bens líbios congelados em fevereiro e março “sejam colocados à disposição do povo líbio o quanto antes”.

O novo governo de transição líbio será anunciado no domingo “e será representativo” de todos os líbios, indicaram na sexta-feira duas das novas autoridades.