Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Confrontos deixam 21 soldados mortos ao sul de Bagdá

Combates com insurgentes sunitas ocorreram perto da cidade de Jurf al-Sakhar, a cerca de 50 quilômetros da capital

Um intenso confronto entre forças de segurança iraquianas e insurgentes sunitas deixou pelo menos 21 soldados mortos no sul de Bagdá neste sábado. De acordo com a polícia iraquiana, os combates ocorreram perto da cidade de Jurf al-Sakhar, a cerca de 50 quilômetros da capital.

Segundo oficiais iraquianos, dezenas de militantes foram capturados durante os confrontos na cidade, que faz parte de uma região predominantemente sunita.

O Iraque vem sendo alvo de um avanço-relâmpago de militantes sunitas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), que ocuparam a principal cidade do norte do país, Mosul, e vêm prosseguindo em direção a Bagdá. O EIIL defende a criação um ‘emirado islâmico’ entre Síria e Iraque e também ameaça chegar até os santuários xiitas de Karbala e Najaf, no sul iraquiano.

Arábia Saudita – Na semana passada, o governo iraquiano acusou a Arábia Saudita de promover um genocídio no Iraque ao apoiar militantes sunitas. A Arábia Saudita financia e entrega suprimentos a rebeldes sunitas na vizinha Síria, mas nega estar por trás do grupo radical EIIL. No entanto, o governo iraquiano culpa o país pela militância sunita na região.

“Nós os consideramos responsáveis por apoiarem esses grupos financeira e moralmente, e pelo resultado disso, o que inclui crimes que podemos qualificar como genocídio: o derramamento de sangue iraquiano, a destruição de instituições do Estado iraquiano e de locais históricos e religiosos”, diz o comunicado.

Leia também:

Exército evita ataque contra cidade próxima a Bagdá

(Com Estadão Conteúdo, agências Reuters, EFE e Associated Press)