Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Conflitos entre islamitas e opositores a Mursi ferem 11

Manifestantes protestaram na véspera do 2º turno de referendo constitucional

Por Da Redação 21 dez 2012, 12h07

Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira em choques entre islamitas, que se manifestavam na cidade egípcia de Alexandria, e um grupo de opositores ao presidente Mohammed Mursi, informou a televisão estatal. Os choques, marcados por pedradas, começaram nas imediações da mesquita de Al Qaed Ibrahim, uma das principais da cidade mediterrânea, após a reza muçulmana do meio-dia de sexta-feira.

Os serviços de segurança intervieram imediatamente e dispersaram os adversários lançando gás lacrimogêneo. Os conflitos começaram depois que vários opositores lançaram pedras contra os islamitas, que responderam da mesma maneira. Assim como hoje, em 14 de dezembro, um dia antes da realização do primeiro turno do referendo, dez pessoas ficaram feridas em enfrentamentos entre opositores e partidários a Mursi, em Alexandria.

Leia também:

Leia também: Procurador-geral egípcio diz que não vai mais renunciar

Os islamitas haviam convocado nesta sexta um protesto junto ao templo “para defender os ulemás e as mesquitas”, depois que na semana passada o conhecido xeque Ahmed el Mahalaui permanecesse 14 horas fechado ali, cercado por fiéis enfurecidos por seu sermão em que pediu o voto pelo “sim” no referendo constitucional. Os combates ocorrem um dia antes do segundo turno do referendo sobre a nova Constituição em dezessete províncias do país. O primeiro turno aconteceu no sábado passado em dez províncias, entre elas Cairo e Alexandria, e, segundo os resultados oficiais, venceu o ‘sim’, apoiado pelas forças islamitas – o que é contestado pelos opositores. A oposição laica rejeita a nova Carta Magna porque considera que sua redação foi monopolizada pelos islamitas. (Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade