Clique e assine a partir de 8,90/mês

China oferece US$ 37 milhões a países pobres

Criação de dois fundos foi anunciada na Rio+20 pelo primeiro ministro chinês, Wen Jiabao, em discurso para os chefes de estado da conferência

Por Marco Túlio Pires, do Rio de Janeiro - 20 jun 2012, 19h23

O premiê chinês, Wen Jiabao, anunciou nesta quarta-feira a criação de dois fundos durante discurso aos chefes de estado na Rio+20, a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, no Rio de Janeiro. O primeiro fundo, de seis milhões de dólares, será dedicado para atividades que vão ajudar países em desenvolvimento a aumentar capacitação em termos de proteção ambiental.

O segundo, de 31 milhões de dólares (200 milhões de yuans) vai criar uma rede global de cooperação tecnológica baseada em programas piloto de vários países para combater as mudanças climáticas em países pobres. “Queremos promover as melhores práticas de desenvolvimento sustentável criando projetos internacionais de cooperação”, disse Jiabao.

“Única escolha que nos resta” – O primeiro-ministro, assim como a presidente Dilma Rousseff, defendeu o princípio de responsabilidades comuns, porém diferenciadas, e criticou a crescente distância que existe entre países desenvolvidos e em desenvolvimento.

“Queremos um mundo mais próspero e verde. Nesse novo mundo não há pobreza, discriminação, nem a destruição da natureza”, disse. “No mundo de hoje, não há mais continentes a serem descobertos. Preservar os recursos e o ambiente para o desenvolvimento sustentável é a única escolha que nos resta.”

Continua após a publicidade
Publicidade