Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China está por trás de ciberataques, diz empresa americana

Consultora na área de segurança na internet descobriu que muitos dos hackers que atacam os EUA estão baseados na China e têm o apoio do governo chinês

O Exército chinês controla alguns dos hackers mais extremos do mundo, destaca a empresa Mandiant, que presta consultoria ao governo americano na área de segurança na internet e identificou a fonte de vários ataques virtuais realizados contra os Estados Unidos em um imóvel de Xangai.

A Mandiant descobriu, após centenas de investigações realizadas durante três anos, que as organizações que atacam na internet os meios de comunicação americanos, agências do governo e empresas comerciais “estão baseadas principalmente na China”, e que o governo chinês “está totalmente a par de suas atividades”.

Leia também:

‘New York Times’ denuncia ataques de hackers chineses

‘Wall Street Journal’ também acusa chineses de ciberataque

O relatório se concentra em um grupo, o “APT1”, acrônimo de “Advanced Persistent Threat”, que teria roubado uma grande quantidade de informações e tinha como alvos infraestruturas importantes, como as atividades energéticas americanas. “Acreditamos que o APT1 é capaz de executar com êxito uma campanha de espionagem que também se estende à internet, porque recebe um apoio direto do governo”, afirma Mandiant.

O grupo seria de fato ligado ao Exército de Libertação do Povo, denominada Unidade 61398, e a origem dos ataques virtuais foi rastreada até um imóvel de 12 andares no subúrbio de Xangai.

(Com agência France-Presse)