Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chefe dos talibãs afegãos está desaparecido no Paquistão

Há informações de que Mohammad Omar foi morto, mas insurgentes negam

Por Da Redação 23 Maio 2011, 11h27

O líder dos talibãs afegãos, o mulá Mohammad Omar, desapareceu de seu esconderijo no Paquistão, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz dos Serviços Secretos do Afeganistão (NDS), Lutfullah Mashal. O grupo terrorista não tem notícias dele há quatro ou cinco dias, completou Mashal em entrevista coletiva.

Contudo, o porta-voz não confirmou a morte de Omar, que foi anunciada pela imprensa afegã mas é desmentida pelos insurgentes. “Podemos confirmar que ele desapareceu do esconderijo de Quetta, no Baluquistão (província do sudoeste do Paquistão), mas até agora não podemos confirmar a morte”. É oferecida atualmente uma recompensa de 10 milhões de dólares por ele.

Uma TV privada do Afeganistão, a Tolo, anunciou que o chefe talibã foi morto no Paquistão há dois dias, quando se deslocava entre a localidade de Quetta e a província do Waziristão o Norte, em território paquistanês, na fronteira com o Afeganistão.

Zabihullah Mujahid, um porta-voz dos talibãs afegãos, Omar está vivo e em um local seguro. “Nós negamos totalmente essas notícias que são publicadas por nossos inimigos”, disse Mujahid por telefone de um local não-revelado. “Isto é propaganda do inimigo para enfraquecer o moral dos combatentes”, completou.

O porta-voz das forças da Organização dos Tratados Atlântico Norte (Otan) em Cabul, Joseph Blotz, disse que a organização estava investigando as informações sobre a morte do terrorista, mas que ainda não podia confirmar o fato. “Nós ainda não sabemos se é verdade ou não”, disse.

Bin Laden – Washington e Cabul acreditam que o mulá Omar e parte dos líderes da rebelião afegã estejam refugiados em cidades do Paquistão, o que Islamabad nega categoricamente. As suspeitas aumentaram depois da morte de Osama bin Laden, no dia 2 de maio, em uma operação das forças especiais americanas em Abbottabad, uma cidade a duas horas de carro da capital paquistanesa, onde o líder da Al-Qaeda morou por muitos anos.

O mulá Omar era o chefe do regime que governou o Afeganistão entre setembro de 1996 e o fim de 2001, quando uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos expulsou do poder os talibãs, que se negaram a entregar bin Laden após os atentados de 11 de setembro. Nos últimos 11 anos, ele estava morando entre a cidade de Quetta e a passagem de Chaman, na fronteira afegã.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade