Clique e assine a partir de 9,90/mês

Chávez cita Jesus e Bolívar e diz que Arafat foi envenenado pelo império

Por Da Redação - 9 jul 2012, 19h24

Caracas, 9 jul (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, comentou nesta segunda-feira sobre a possibilidade do corpo do líder palestino Yasser Arafat ser exumado para se investigar as causas de sua morte e disse que ‘parece que o envenenaram’.

‘Vão exumar o corpo desse grande soldado, patriota e palestino que foi Yasser Arafat. Há evidências na roupa que apontam para uma substância muito radioativa’, afirmou Chávez em entrevista coletiva.

‘Parece que o envenenaram. A mão assassina do império anda por todos os lados e tem muitas maneiras de tirar do caminho as pessoas que não lhe convém’, discursou.

Chávez citou até Jesus Cristo e disse que ele foi crucificado pelo império romano. O presidente também aproveitou a ocasião para se referir ao libertador Simón Bolívar, que morreu 17 de dezembro de 1830.

Continua após a publicidade

‘Eu acho que Bolívar foi envenenado, volto a repetir. Não tenho provas, mas eu acho que o envenenaram, o assassinaram’, denunciou.

Em 4 de julho, a Autoridade Nacional Palestina (ANP) se mostrou disposta a exumar os restos de Arafat diante dos novos indícios de que ele pode ter sido envenenado.

Suha, a viúva do histórico líder palestino, pediu nesse dia a exumação de seu corpo depois que uma investigação realizada pela televisão ‘Al Jazeera’ concluiu que Arafat pode ter sido envenenado por polônio 210, uma substância altamente radioativa achada em seus pertences pessoais.

Em julho de 2010, uma equipe de legistas exumou os restos de Bolívar (1783-1830) do Panteão Nacional para determinar se os restos mortais eram realmente do herói da independência e para investigar as causas de sua morte.

Continua após a publicidade

Chávez anunciou em novembro de 2007 a criação de uma comissão presidencial para investigar os restos de Bolívar por acreditar na tese de que ele morreu envenenado, e não de tuberculose, como asseguram os livros de história.

Em 25 julho de 2011, o vice-presidente venezuelano, Elías Jaua, informou que os restos humanos que estão no Panteão Nacional da Venezuela são do libertador Simón Bolívar, mas as causas de sua morte não puderam ser determinadas. EFE

Publicidade