Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cessar-fogo fracassa e confrontos recomeçam em Gaza

A mais promissora trégua desde o início do conflito desmoronou com o disparo de foguetes do Hamas contra Israel; negociações no Cairo são esvaziadas

Por Da Redação - 20 ago 2014, 06h21

Novos confrontos na Faixa de Gaza nesta quarta-feira e a troca de disparos entre o Hamas e Israel deixam claro que a mais promissora trégua desde o início do atual conflito na região fracassou de vez. Na terça, horas antes da extensão de um novo cessar-fogo expirar, dezenas de foguetes foram disparados de Gaza contra Israel, violando o acordo entre os dois lados. As forças de Defesa israelenses responderam com bombardeios contra o território palestino.

Durante a noite de terça, o braço armado do Hamas reivindicou o disparo de pelo menos quarenta foguetes em direção a Israel, incluindo um que atingiu Tel Aviv e outro em direção a Jerusalém, as duas principais cidades israelenses. De acordo com o Exército do país, ninguém ficou ferido nos ataques.

Leia mais:

Em desafio a Israel, terroristas do Hamas promovem ‘tour’ em túnel

Continua após a publicidade

Foguetes lançados da Faixa de Gaza interrompem cessar-fogo

A retomada das hostilidades encerra as esperanças mais imediatas de uma saída diplomática para o conflito que matou mais de 2.000 palestinos e 67 israelenses em cerca de um mês e meio. Diante da violação da trégua, Israel retirou os seus representantes do Cairo e interrompeu as conversas que visavam uma pausa prolongada no conflito em Gaza. Os representantes palestinos, por sua vez, declararam que as negociações chegaram ao fim.

Em resposta aos disparos do Hamas, a Defesa de Israel realizou mais de trinta ataques aéreos contra alvos em Gaza, que provocaram as primeiras mortes na região desde 10 de agosto, data do início da série de tréguas entre israelenses e palestinos. De acordo com um dos chefes políticos do Hamas, Mussa Abu Marzuk, a mulher e a filha do líder militar Mohammed Deif foram mortas no bombardeio. Fontes palestinas também relataram a morte, na manhã desta quarta-feira, de seis pessoas de uma mesma família na cidade de Deir el-Balah.

ONU – O colapso das negociações foi lamentado pela ONU. Em declaração na terça, o secretário-geral Ban Ki-moon expressou “profunda decepção” pelo rompimento do cessar-fogo e pediu que palestinos e israelenses evitem a escalada no conflito. “As esperanças do povo de Gaza para um futuro melhor e as do povo de Israel para uma segurança duradoura dependem das conversas no Cairo”, disse ele.

Continua após a publicidade

Impasse – Uma autoridade palestina de alto escalão em Gaza relatou para a agência Reuters que os pontos da discórdia para um acordo no Cairo são a exigência do Hamas para construir um porto e um aeroporto, que Israel só quer discutir em outra etapa das negociações. Já os israelenses pedem o desarmamento dos militantes do grupo – uma proposta que o Hamas diz estar fora de cogitação.

(Com agências Reuters, France-Presse e EFE)

Publicidade