Clique e assine a partir de 8,90/mês

“Brasil, desmoralizado, volta para casa”, diz jornal italiano

Jornais e revistas pelo mundo dão destaque à derrota brasileira e não deixam de criticar desempenho de Neymar

Por Da Redação - Atualizado em 6 jul 2018, 21h09 - Publicado em 6 jul 2018, 17h43

A imprensa internacional destacou a eliminação da Seleção brasileira da Copa do Mundo da Rússia nesta sexta-feira (6). Jornais, revistas e emissoras televisivas pelo mundo também sublinham o bom desempenho da Bélgica, que novamente surpreendeu com seus contra-ataques e força na defesa.

Para o italiano Corriere della Sera, o Brasil volta para casa “desmoralizado” depois da derrota. O jornal cita o gol-contra do zagueiro Fernandinho e afirma que o meia Renato Augusto “tentou recomeçar” o jogo com seu gol de cabeça no segundo tempo, mas Philippe Coutinho “devorou o empate” com chutes errados para o gol.

Homepage do Corriere Della Sera – 06/07/2018 //Reprodução

O jornal belga Le Soir comemorou a vitória de sua Seleção, afirmando que este foi “um jogo para a história”. “A Bélgica validou sua classificação para as semifinais da Copa do Mundo pela primeira vez em 32 anos, batendo o Brasil (2-1) graças a uma grande conquista de Kevin De Bruyne e um grande jogo de seu goleiro, Thibaut Courtois”.

“Pela quinta vez na história da Copa do Mundo, a última fase será 100% europeia (França, Bélgica, Croácia ou Rússia, Inglaterra ou Suécia) após as edições de 1934, 1966, 1982 e 2006”, lembrou ainda o Le Soir, destacando o sucesso europeu.

Homepage do Le Soir – 06/07/2018 //Reprodução

O argentino Clarín também lembrou que não restam mais times sul-americanos na Copa. Em um artigo de opinião, o jornal fala sobre a performance abaixo do esperado de Neymar: ele “foi uma sombra na partida em que o Brasil mais necessitava dele”. “Nunca brilhou”, diz o jornalista.

“Não haverá hexacampeonato para o Brasil na Rússia”, afirmou o El País. O espanhol também elogiou o jogo belga, que classificou como “um perfeito exercício de contra-ataque e resistência”. “O poder de Lukaku e a precisão de De Bruyne superaram o Brasil no primeiro tempo que confirmou a aposta belga na Rússia: defender, correr e marcar”, diz.

Homepage do Clarín – 06/07/2018 //Reprodução

Para o jornal The New York Times “a corrida do Brasil na Copa do Mundo terminou em silêncio”. Segundo o americano, a vitória da Bélgica “foi tão merecida quanto chocante”, já que a seleção verde e amarela era uma das últimas grandes a permanecer no campeonato após as eliminações da Alemanha, Argentina e Espanha.

“A eliminação do Brasil e a saída do Uruguai pelas mãos da França no início do dia garantem que o torneio terá um campeão europeu”, afirma o NYT.

O francês Le Monde afirmou que o desempenho brasileiro foi “muito confuso e não inspirou o bastante”. O jornal classificou a seleção como individualista e sem concentração tática, mas elogiou a defesa belga, “um muro vermelho que se deslocou da direita para a esquerda com as mudanças dos alas brasileiros, repelindo os ataques de longe e quebrando a ginga de Neymar e Coutinho”.

Homepage do Le Monde – 06/07/2018 //Reprodução
Continua após a publicidade
Publicidade