Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bernie Madoff, autor da maior fraude financeira dos EUA, morre na prisão

Financista tinha 82 anos e estava cumprindo pena em uma penitenciária federal no estado americano da Carolina do Norte; causa não foi divulgada

Por Da Redação Atualizado em 14 abr 2021, 12h54 - Publicado em 14 abr 2021, 12h00

Operador responsável por criar um gigantesco e criminoso esquema de pirâmide financeira nos Estados Unidos, Bernie Madoff morreu nesta quarta-feira, aos 82 anos, em uma prisão federal no estado da Carolina do Norte. A causa da morte ainda não foi confirmada. No ano passado, os advogados de Madoff entraram com recurso para tentar libertá-lo em razão da pandemia de Covid-19, dizendo que ele sofria de doença renal em estágio terminal e outras condições médicas crônicas. O pedido foi negado.

Um administrador indicado pelo tribunal recuperou mais de 13 bilhões de cerca de 17,5 bilhões de dólares investidos nos negócios de Madoff. No momento da prisão, extratos de conta falsos diziam aos clientes que eles tinham ativos no valor de 60 bilhões de dólares. Sua trajetória como um dos homens mais poderosos de Wall Street e seu envolvimento no esquema de pirâmide estão retratados no filme “O Mago das Mentiras”, inspirado em livro da jornalista  Diana B. Henriques, com Robert DeNiro no papel do personagem e Michelle Peiffer no de sua mulher, Ruth.

Ex-presidente do mercado de ações da Nasdaq, ele atraiu uma legião dedicada de clientes de investimento – de aposentados da Flórida a celebridades como o famoso diretor de cinema Steven Spielberg e o ator Kevin Bacon. Mas seu negócio de consultoria de investimento foi exposto em 2008 como um esquema de pirâmide multibilionário. Ele se confessou culpado em março de 2009 de fraude em títulos e outras acusações, dizendo que estava “profundamente arrependido e envergonhado”.

Após vários meses vivendo em prisão domiciliar em seu apartamento de cobertura de 7 milhões de dólares em Manhattan, ele foi levado para a prisão algemado. O juiz distrital dos EUA, Denny Chin, não mostrou misericórdia, sentenciando Madoff a 150 anos de prisão.

Em junho de 2009, um juiz emitiu uma ordem de confisco de 171 bilhões de dólares, privando o operador de todos os seus bens pessoais, incluindo imóveis, investimentos e 80 milhões de dólares em ativos. Um de seus filhos, Mark, se matou  em 2010. Dois anos depois, o irmão de Madoff, Peter, que ajudava a administrar o negócio, foi condenado a 10 anos de prisão, apesar das alegações de que não sabia sobre os crimes. O outro filho dele, Andrew, morreu de câncer aos 48 anos. Sua esposa Ruth ainda está viva.

Madoff foi enviado para cumprir o que equivalia a uma sentença de prisão perpétua no Complexo Correcional Federal Butner, na Carolina do Norte. Um site de prisão federal listou sua provável data de libertação como 11 de novembro de 2139.

Continua após a publicidade
Publicidade