Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Banco do Japão injeta 3,5 trilhões de ienes na economia

Em menos de uma semana, instituição investe 26,5 tri de ienes para garantir estabilidade

Por Da Redação 16 mar 2011, 01h36

O Banco do Japão (BOJ) injetou hoje outros 3,5 trilhões de ienes (US$ 43,165 bilhões) para ampliar a garantia de liquidez da economia do país após o grave terremoto do dia 11.

A quantia se une ao número recorde de 23 trilhões de ienes (US$ 283,5 bilhões) já fornecidos nesta semana pela entidade emissora para assegurar a estabilidade financeira e acalmar o mercado.

A nova contribuição de liquidez do BOJ aconteceu quando a Bolsa de Tóquio, após perder em dois dias quase 16%, somava lucro durante a jornada de hoje.

Nos 15 primeiros minutos de cotações o Nikkei subia quase 6% e às 10h30 no horário local (22h30 de Brasília) avançava 5,14%, ou 441,90 pontos, até os 9.047,05.

Este foi o terceiro dia consecutivo em que o Banco do Japão realizou uma grande contribuição de liquidez para que as entidades financeiras possam enfrentar o efeito do terremoto e posterior tsunami, que causou mais de 11 mil vítimas entre mortos e desaparecidos.

Continua após a publicidade

Na segunda-feira, o Governo japonês enviou uma mensagem de calma sobre a força da economia japonesa, a terceira do mundo após Estados Unidos e China.

O ministro de Política Fiscal e Econômica, Kaoru Yosano, disse que, apesar da excepcionalidade vivida pelo Japão, os mercados estão em operação e vão continuar.

Yosano disse que “não há preocupações” sobre as cotações das empresas do Japão.

Na segunda-feira, o BOJ ordenou uma injeção de liquidez de emergência, até o recorde de 15 trilhões de ienes (US$ 183,825 bilhões), e na terça-feira voltou a colocar no mercado um total de 8 trilhões de ienes (98,745 bilhões).

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade