Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Austrália envia navio para tentar resgatar possíveis destroços de avião

Busca pelo avião desaparecido se intensifica no Oceano Índico após novos relatos de objetos boiando que poderiam ser do Boeing 777

Por Da Redação 24 mar 2014, 07h42

Aviões e navios intensificaram a busca pelo voo MH370 da Malaysia Airlines nesta segunda-feira, no Sul do Oceano Índico, após a detecção de vários objetos que poderiam pertencer ao Boeing 777 desaparecido. A Austrália, que coordena as operações na região, confirmou que enviou um navio para tentar recuperar os possíveis destroços do avião, relata a rede BBC. “Continuamos sem ter certeza de que o avião está na região, mas nos prendemos a qualquer informação que chega para limitar um perímetro e concentrar nossos esforços”, disse o vice-primeiro-ministro Warren Truss.

Um avião australiano detectou dois objetos na área de buscas, a cerca de 2.500 quilômetros de Perth, na costa da Austrália. Um dos objetos é circular e cinza e o outro é retangular e laranja, disse o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott. Os objetos podem ser recuperados nas próximas horas, disse o ministro dos Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein, que acompanha as buscas.

Leia também

Voo MH370: avião chinês avista ‘objetos suspeitos’ no mar

Avião desaparecido voou a 12.000 pés após mudança de rota

Satélite francês capta imagens de objetos que podem ser de avião desaparecido

A agência estatal chinesa Xinhua anunciou nesta segunda que um avião do país observou “objetos brancos e quadrados” na região que poderiam estar relacionados com o Boeing 777. O voo MH370, que viajava entre Kuala Lumpur e Pequim, desapareceu pouco depois da decolagem em 8 de março com 239 pessoas a bordo. Mais de 150 passageiros eram chineses. No meio do caminho entre a Malásia e o Vietnã, o avião mudou de rumo, para o oeste, em direção contrária a sua rota, e os sistemas de comunicação foram desativados “deliberadamente”, segundo as autoridades malaias. A aeronave teria voado durante várias horas até esgotar o combustível.

Continua após a publicidade

Depois de analisar todos os elementos, as autoridades estabeleceram dois corredores de busca: o primeiro, ao norte da Malásia até a Ásia Central, e o segundo, da Indonésia ao Sul do Índico. Especialistas acreditam neste último corredor, pois consideram que o avião não poderia ter sobrevoado a China ou ex-repúblicas soviéticas sem ter sido detectado por radares militares.

Leia mais

Satélite chinês capta imagem de possível destroço de avião

Revelados os últimos 54 minutos de conversa no avião desaparecido

As esperanças de descobrir o paradeiro do avião da Malaysia Airlines aumentaram no domingo, após a localização de objetos no Oceano Índico por um satélite francês. “Ainda é cedo para sermos conclusivos, mas temos agora várias pistas confiáveis, e existe uma esperança crescente de descobrir o que aconteceu com este avião infeliz”, disse no domingo o primeiro-ministro australiano, Tony Abbot.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês