Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atirador da Califórnia disse em carta que polícia quase acabou com seus planos

Elliot Rodger esfaqueou três colegas de quarto antes de cometer seis assassinatos em Santa Bárbara, nos Estados Unidos

O jovem de 22 anos que matou seis pessoas antes de se suicidar perto do campus da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, nos Estados Unidos, deixou um manifesto afirmando que a polícia quase arruinou seu plano. No texto, Elliot Rodger diz que a descoberta quase aconteceu quando policiais o procuraram para verificar como ele estava.

Na carta, Rodger conta que há um mês, após planejar os assassinatos e conseguir uma arma, abriu a porta de seu quarto na faculdade para sete policiais. “Fiquei apavorado ao pensar que alguém pudesse ter descoberto o que eu planejava e houvesse me denunciado”, escreveu Rodger no manifesto obtido pela emissora de televisão KEYT-TV. “Se esse fosse o caso, a polícia teria revistado meu quarto, encontrado todas as minhas armas e meus textos sobre o que eu iria fazer. Eu teria sido preso sem a chance de me vingar dos meus inimigos. Não consigo imaginar um inferno mais negro que esse. Felizmente, não foi esse o caso, mas foi por pouco.”

Leia também:

Diretor de cinema acredita que filho matou seis nos EUA

Ele disse ainda que os policiais contaram sobre a preocupação de sua mãe com os vídeos que ele postara na internet e que acreditava que ela ou alguma agência especializada em saúde mental havia pedido para as autoridades checarem sua situação. “A polícia me interrogou fora de casa por alguns minutos, perguntou se eu tinha pensamentos suicidas. Eu taticamente disse que era tudo um desentendimento e eles finalmente foram embora”, escreveu, acrescentando que removeu os vídeos para postá-los mais perto da data do ataque.

Em um vídeo no Youtube, publicado um pouco antes do massacre, um jovem que a polícia acredita ser Rodger reclamou da solidão e rejeição de mulheres e disse que planejava matar aquelas que o desdenharam. Segundo a polícia, Rodger, que é filho de Peter Rodger, um dos assistentes de direção da franquia Jogos Vorazes, também esfaqueou três pessoas em seu apartamento antes de atirar nas outras vítimas na noite de sexta-feira, na cidade de Isla Vista.

O xerife do condado de Santa Barbara, Bill Brown, disse no sábado que Rodger foi visto por diversos profissionais de saúde e que estava evidente que ele tinha problemas mentais. O delegado afirmou ainda que, embora seu departamento tivesse entrado em contato com Rodger três vezes antes dos assassinatos, ele não atingia os critérios necessários para ser internado involuntariamente.

(Com Reuters)