Atentado em mercado no sul da Somália deixa 11 civis mortos (deputado)

Por Jenny Vaughan - 9 abr 2012, 11h52

Pelo menos 11 civis, em sua maioria mulheres e crianças, morreram nesta segunda-feira, na explosão de uma bomba em um mercado de Baidoa, antigo reduto de islamitas shebab do sul da Somália, anunciou um deputado.

O atentado não foi reivindicado até o momento.

Elementos da força da União Africana (UA) foram mobilizados no dia 5 de abril em Baidoa, tomada dos shebab pelas tropas etíopes e do governo em fevereiro.

“Pelo menos onze pessoas – em sua maior parte mulheres e crianças – foram mortas por uma bomba colocada em um mercado movimentado”, declarou o deputado somali Mohamed Ibrahim Habsade.

Publicidade

“Muitas outras ficaram feridas na explosão”, acrescentou, indicando que esse atentado foi o mais violento desde que as forças somalis tomaram o controle da cidade, situada 250 km a noroeste de Mogadíscio.

Segundo testemunhas, a bomba explodiu perto de um açougue, pouco depois da chegada de soldados somalis ao mercado para fazer compras.

Uma testemunha, Abdirahman Waney, indicou que tinha visto cerca de trinta feridos, “alguns com gravidade”.

“É um desastre, vi os corpos destroçados de pelo menos nove pessoas, na maioria mulheres. A explosão ocorreu no momento em que muitas pessoas faziam suas compras”, declarou Adan Hussein, outra testemunha.

Publicidade