Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Após tempestade, mais de 500 são atacados por escorpiões no Egito

Chuva histórica fez animais invadirem a cidade de Assuã, no sul do país

Por Da Redação Atualizado em 16 nov 2021, 17h38 - Publicado em 16 nov 2021, 16h37

Mais de 500 pessoas foram picadas por escorpiões na cidade de Assuã, no sul do Egito, após a maior enchente dos últimos 11 anos obrigar os animais a procurarem por abrigo em casas da região.

Ao todo, 503 egípcios precisaram ser hospitalizados depois de serem atacados. Os sintomas incluem febre, dor intensa, vômito, diarreia, tremores musculares e espasmos na região da cabeça.

Todos foram liberados após receberem doses de soro. 

O escorpião de cauda grossa é uma das espécies de escorpião mais perigosas do mundo e pode ser encontrada em todas as regiões áridas e semi-áridas do Oriente Médio e da África.

Sem o tratamento adequado, os seres humanos podem morrer em até uma hora depois de serem picados.

De acordo com o governo, a rara tempestade, que contou com chuva de granizo e trovões, foi a pior dos últimos 11 anos e as fortes enchentes fizeram com que esses escorpiões saíssem de seu habitat natural procurando abrigo nas casas da cidade.

Houve queda de energia em toda a província e as inundações danificaram moradias, veículos e fazendas locais, além de ter causado a morte de três membros da força de segurança egípcia.

Assuã está localizada no delta do Nilo, região que o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) definiu como um dos três pontos extremamente vulneráveis do mundo em 2018.

Desse modo, é esperado que as chuvas se intensifiquem no local ao longo dos próximos anos.

Continua após a publicidade

Publicidade