Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Após 17 dias presos em túnel, 41 trabalhadores são resgatados na Índia

Força-tarefa de emergência foi montada quando a construção desabou, em 12 de novembro

Por Da Redação
Atualizado em 28 nov 2023, 12h37 - Publicado em 28 nov 2023, 12h35

Após 17 dias de operação, equipes de resgate conseguiram retirar, nesta terça-feira, 28, os 41 operários que estavam presos em um túnel que desabou na Índia, na região do Himalaia. Abaixo de escombros de rocha, concreto e terra, os trabalhadores sobreviveram por mais de duas semanas em um espaço de 8,5 metros de altura por dois quilômetros de comprimento.

O acidente ocorreu no estado de Uttarakhand, no norte do país. No local, de acordo com agências de notícias internacionais, há ambulâncias e um hospital de campanha para receber os operários, que devem seguir depois para um hospital a cerca de 30 km de distância.

+ Índia divulga imagens de trabalhadores presos em túnel há uma semana

Durante o período em que ficaram presos, os homens puderam obter comida, água, luz, oxigênio e medicamentos através de um cano. Na semana passada, o grupo começou a se comunicar com as equipes de emergência por meio de uma câmera de endoscopia, que também chegou ao subsolo por meio do cano, e tiveram acesso a atendimento médico e psicológico. No entanto, a operação de escavação para resgatá-los, usando máquinas de perfuração de alta potência, foi frustrada por uma série de obstáculos.

Especialistas iniciaram a perfuração manual dos escombros nesta segunda-feira, após a máquina que realizava este trabalho não conseguir romper um emaranhado de barras enterradas em estruturas metálicas. O equipamento continuou a ser usado para perfurar acima do túnel. Para o resgate, foi necessário atingir uma profundidade de 86 metros.

Continua após a publicidade

+ Poluição na Índia fecha escolas e atrapalha Copa do Mundo de Críquete

O túnel faz parte da rodovia nacional expressa Char Dham, avaliada em US$ 1,5 bilhões (R$ 7,3 bilhões), um dos projetos mais ambiciosos do primeiro-ministro Narendra Modi, que visa ligar cidades que abrigam alguns dos mais sagrados templos hindus da região, por meio de uma rede de 890 quilômetros de estradas.

As autoridades não disseram o que causou o desabamento no dia 12 de novembro, mas a região é propensa a deslizamentos de terra, terremotos e inundações.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.