Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Americana abre processo contra príncipe Andrew por abuso sexual

Virginia Giuffre diz ter sido levada ao Reino Unido pela rede de tráfico de Jeffrey Epstein para ter relação sexual com o filho da rainha Elizabeth II

Por Julia Braun Atualizado em 10 ago 2021, 09h16 - Publicado em 10 ago 2021, 08h40

Uma americana que acusa o príncipe Andrew de ter abusado dela quando tinha 17 anos entrou na segunda-feira 9 com um processo contra o filho da rainha Elizabeth II. Virginia Giuffre diz ter sido levada ao Reino Unido por meio de uma rede de tráfico comandada por Jeffrey Epstein para ter relação sexual com o duque de York.

“Hoje, meu advogado entrou com uma ação judicial contra o príncipe Andrew por abuso sexual sob a Lei de Vítimas Infantis. Como a ação judicial explica em detalhes, fui traficada para ele e abusada sexualmente por ele”, declarou Giuffre à revista People. O processo foi aberto em uma corte de Nova York, nos Estados Unidos.

Em 2019, Giuffre já afirmava que, após ser apresentada por Epstein ao duque de York, ele a obrigou a ter relações sexuais três vezes entre 1999 e 2002, quando ela era menor, algo que o filho da rainha Elizabeth II nega contundentemente. A suposta vítima, no entanto, disse querer responsabilizar o príncipe e enviar uma mensagem de que os “ricos e poderosos não estão isentos” de serem responsabilizados no tribunal.

“Espero que outras vítimas vejam que é possível não viver em silêncio e medo, mas reivindicar sua vida falando e exigindo justiça”, acrescentou.

Giuffre também comentou que não foi fácil decidir entrar com a ação judicial, pois como mãe e esposa sua família “está em primeiro lugar”, e ela teme ser alvo de ataque do membro da família real britânica. “Mas eu sabia que, se eu não entrasse com esta ação, decepcionaria todas as vítimas”, ressaltou.

Continua após a publicidade

Após ser acusado publicamente por Giuffre de abusar dela, Andrew “categoricamente” negou as alegações, em uma entrevista à BBC divulgada em novembro de 2019. “Isso não aconteceu. Posso lhe dizer categoricamente que isso nunca aconteceu. Não me lembro de ter conhecido esta senhora”, afirmou.

O príncipe, cuja amizade com Epstein causou grande controvérsia, admitiu ter se hospedado algumas vezes nas residências do homem de negócios nos Estados Unidos, mas que em nenhum momento suspeitou de comportamento impróprio por parte dele, que cometeu suicídio em uma cela de prisão em Nova York em agosto de 2019, pouco depois de ter sido preso por tráfico sexual.

Andrew disse ter conhecido Epstein através de sua amiga Ghislaine Maxwell, filha do falecido magnata da mídia Robert Maxwell, que também foi presa e aguarda julgamento em Nova York marcado para novembro deste ano, quando ela enfrentará várias acusações, incluindo tráfico sexual.

Quando perguntado na entrevista sobre uma foto na qual ele mesmo aparece agarrado à cintura de Giuffre – e que supostamente foi tirada na residência de Maxwell em Londres, em março de 2011 – quando ela tinha 17 anos, o duque alegou não se lembrar do momento.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade