Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ambulâncias entram em Alepo para iniciar remoção de feridos

Após a remoção dos pacientes, se dará a saída dos civis e rebeldes da área sitiada. Operação teve pausa depois de ataque a comboio humanitário

Por Da redação Atualizado em 15 dez 2016, 11h53 - Publicado em 15 dez 2016, 08h52

As ambulâncias começaram nesta quinta-feira a entrar nos bairros assediados do leste da cidade de Alepo, no norte da Síria, para retirar os doentes e feridos da região, informou a emissora de televisão oficial do regime sírio, que está mostrando imagens ao vivo. Os veículos partiram do bairro de Al Ramusa, no sul e em poder das forças do ditador Bashar Assad, e se dirigiram ao distrito de Al Salah ad-Din, que é controlado pelos insurgentes, para chegar ao ponto onde recolherão os doentes e feridos.

Após a remoção dos pacientes, se dará a saída dos civis e rebeldes da área sitiada. A emissora síria também indicou que minutos depois da entrada das ambulâncias, os ônibus que transportarão civis e combatentes se dirigiram aos distritos assediados do leste, através de Al Ramusa.

Leia também
Trégua em Alepo será retomada nas próximas horas, dizem rebeldes
Trégua é quebrada e governo retoma ataques em Alepo 
Forças do governo sírio massacram civis em Alepo

Uma centena de voluntários e trabalhadores do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e do Crescente Vermelho Síria estão no terreno, com dez ambulâncias para facilitar a evacuação de doentes e feridos, disse anteriormente a porta-voz do CICV na Síria, Ingy Sedky. Sedky destacou que “as partes pediram ao CICV e ao Crescente Vermelho que ajudassem na evacuação dos feridos do leste de Alepo”.

A televisão síria acrescentou que também há presença de representantes da ONU para supervisionar toda a operação. Na última madrugada, as partes alcançaram um novo acordo para evacuar os distritos assediados que estipula um cessar-fogo e a retirada de civis e combatentes.

Violações

A operação de retirada dos civis teve uma pausa mais cedo nesta quinta-feira, quando um dos comboios que levava voluntários foi atacado com tiros, informou o CICV. O veículo com membros dos “Capacetes Brancos” (White Helmets) tentava abrir caminho para ambulâncias e foi atingido por atiradores das forças do governo, de acordo com o médico Hamza al-Khateab, chefe do hospital al-Quds, em Alepo. Segundo a emissora CNN, uma pessoa morreu e outras quatro ficaram feridas, incluindo o diretor dos Capacetes Brancos, Bebars Meshaal. O trabalho de evacuação foi retomado poucas horas depois.

Segundo o ministro de Assuntos Europeus da Turquia, Ömer Çelik, o cessar-fogo em vigor no leste da cidade de Alepo, acertado ontem e renovado na madrugada de hoje, está sendo “continuamente” violado. “É uma vergonha para o mundo”, disse Çelik, confirmando as informações divulgadas pela agência Anadolu.

(Com agências EFE e Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês