Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Amante de Petraeus perde ‘acesso a segredos de defesa’

Documentos considerados secretos foram encontrados em seu computador

Por Da Redação 15 nov 2012, 08h09

Paula Broadwell, a amante do ex-diretor da CIA David Petraeus, teve impedido o seu ‘acesso a segredos de defesa’ depois que documentos classificados como secretos foram encontrados em seu computador. O privilégio permitia a Broadwell ter acesso a documentos da defesa nacional considerados secretos.

“Foram adotadas medidas apropriadas em relação à habilitação e à autorização de acesso desta oficial”, confirmou nesta quinta-feira o tenente-coronel James Gregory, que, no entanto, se negou a precisar o significado exato da expressão ‘medidas apropriadas’.

Leia também:

Leia também: Segurança nacional não foi violada com Petraeus, diz Obama

Ex-oficial do Exército americano, Paula realizou seus estudos na Universidade de Harvard, especializando-se em comando militar, e dedicando-se depois a uma biografia do general Petraeus, com quem manteve um relacionamento. Investigada no final de outubro pelo FBI, ela entregou o seu computador, no qual foram encontrados documentos confidenciais. Paula afirmou que o diretor da CIA não era a fonte desses documentos.

O FBI revistou na segunda-feira passada a residência de Broadwell em Charlotte (Carolina do Norte, sudeste dos EUA), levando várias caixas com documentos, segundo o jornal The Washington Post. Em declarações feitas no final de outubro ao FBI, David Petraeus, que renunciou na sexta-feira passada a seu cargo de diretor da CIA quando o caso extraconjugal foi revelado, rejeitou que tivesse violado as normas de segurança sobre documentos secretos.

Continua após a publicidade

FBI – O jornal The New York Times identificou na quarta-feira o agente do FBI que descobriu o caso extraconjugal de Petraeus e teria ficado muito ‘envolvido’ com o caso. Frederick W. Humphries II, de 47 anos, é veterano agente de contraterrorismo visto como um dos responsáveis por evitar, em 1999, o ataque a bomba no aeroporto de Los Angeles.

Saiba mais:

Saiba mais: Ex-diretor da CIA vai depor sobre ataque em Bengasi

O caso extraconjugal do ex-diretor da CIA veio à tona durante uma investigação do FBI sobre e-mails enviados por Paula a Jill Kelley, de 37 anos, que é amiga de Petraeus e sua família. Apesar de morar em Tampa, na Flórida, ela é amiga de fontes governamentais importantes da capital Washington. Aparentemente, Paula tinha ciúmes de Jill, e teria mandado mensagens à suposta rival em tom ameaçador.

Humphries, amigo de longa data de Jill, teria sido o primeiro a ficar sabendo dos e-mails, e iniciou a investigação. No entanto, uma foto do agente sem camisa enviada à Jill levantou suspeitas sobre um outro caso extraconjugal. Lawrence Berger, advogado da associação de agentes, disse que a foto não era ‘sexual’.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade