Clique e assine a partir de 8,90/mês

Alemanha reimpõe confinamento em distrito após surto de coronavírus

Mais de 1.500 dos 7.000 funcionários de frigorífico testaram positivo; bares, cinemas e museus foram fechados; atividades em áreas fechadas estão proibidas

Por Da Redação - Atualizado em 23 jun 2020, 09h21 - Publicado em 23 jun 2020, 09h00

A Alemanha anunciou nesta terça-feira, 23, pela primeira vez, o restabelecimento do confinamento em uma área do país, devido ao surgimento de um surto de 1.500 casos do novo coronavírus, vinculado a um grande matadouro de animais.

“Vamos reordenar um confinamento em todo distrito de Gütersloh”, no oeste do país, onde vivem 360.000 pessoas, disse à imprensa o líder da região da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet. Previsto para durar até 30 de junho, este reconfinamento significará a redução do contato social, o fechamento de bares, cinemas e museus, assim como a proibição de atividades de lazer em espaços fechados.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Os restaurantes podem abrir, mas com restrições, segundo Laschet, possível sucessor da chanceler Angela Merkel e candidato à liderança de seu partido, a CDU, em dezembro próximo. Apenas pessoas de uma mesma família ou no máximo duas de famílias diferentes podem se encontrar em público.

Mais de 1.500 dos 7.000 funcionários do frigorífico testaram positivo para a Covid-19, no que Armin Laschet chamou de o “maior surto” dessa epidemia no país. Todos os funcionários do frigorífico foram colocados em isolamento.

Com cerca de 9.000 mortes por coronavírus até o momento, a Alemanha tenta controlar uma importante fonte de contaminação naquele que é considerado o maior matadouro de animais da Europa. O estabelecimento fica perto de Gütersloh e tem cerca de 6.700 funcionários. Muitos são procedentes da Bulgária e da Romênia.

Continua após a publicidade

Na noite de segunda-feira, as autoridades locais anunciaram que 1.553 pessoas estão infectadas com a Covid-19 neste distrito. Cerca de 7.000 se encontram em quarentena, 21, hospitalizadas, e seis, em terapia intensiva.

Além do distrito de Gütersloh, as novas restrições vão atingir parte do distrito vizinho, de Warendorf, afetando cerca de 370.000 pessoas. O confinamento deve durar no mínimo uma semana, para que seja possível avaliar se o vírus se espalhou para além dos empregados da fábrica e suas famílias.

O surto de Gütersloh elevou a taxa de contágio do país, calculada em 0,86 na última quarta para 2,76 nesta terça. Isso significa que cada 100 pessoas infectadas transmitem o coronavírus para outras 276, fazendo o número de casos quase quadruplicar.

Em todo o país, a Alemanha registrou 537 novos casos entre domingo e esta segunda 22, elevando o total a 190.359 desde o começo da pandemia. Três mortes foram registradas em 24 horas, contabilizando um total de 8.885 mortos até segunda.

O país foi visto pelo mundo como modelo de combate à pandemia, pois apesar do avanço dos casos conseguiu manter uma baixa taxa de mortalidade. O sucesso foi atribuído ao eficaz sistema de saúde pública e à realização de testes em massa.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade