Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Aldeães de Kandahar atribuem massacre de 16 civis a ‘vingança’

Por Da Redação 13 mar 2012, 02h06

Cabul, 13 mar (EFE).- Um grupo de líderes tribais e aldeães de Kandahar assegurou que o massacre de 16 civis ocorrido no último domingo pela ação de um militar dos Estados Unidos nessa região afegã foi uma ‘vingança’, segundo informa a agência de notícias ‘AIP’.

Cerca de 100 aldeães do distrito de Panjwai, onde ocorreram os fatos, participaram de entrevista coletiva na qual asseguraram que o massacre foi perpetrado por vários militares, e não por um só, como afirmam Estados Unidos e a missão da Otan.

‘Uma bomba explodiu à passagem de um veículo na zona de Zangabad, no distrito de Panjwai, há três dias’, explicou nesta segunda-feira um dos líderes tribais, Haji Muhammad Shah Khan.

‘Mais tarde, os soldados dos EUA reuniram várias pessoas na zona e os acusaram de ter colocado a bomba. Disseram que se vingariam e atacariam mulheres e crianças na região’, acrescentou.

Segundo outro aldeão, Haji Muhammad Hassan, o massacre foi produzido por um grupo de soldados com apoio aéreo, apesar de autoridades afegãs, dos EUA e da missão da Otan atribuírem os fatos a um militar afligido por uma suposta ‘crise nervosa’.

‘Se o soldado tinha um problema mental, por que não matou os soldados que tinha a seu lado?’, perguntou Hassan.

Os aldeães pediram aos EUA, à comunidade internacional e às Nações Unidas que lancem uma investigação sobre o caso e ameaçaram produzir uma ‘rebelião nacional’ se houver outro incidente armado contra civis em Kandahar.

Segundo fontes oficiais americanos, o militar saiu de sua base na madrugada de domingo para uma incursão armada pelas casas de civis nos arredores, disparando contra seus moradores, entre eles mulheres e crianças.

Embora seu nome não tenha sido divulgado até o momento, a imprensa americana afirmou que o autor do massacre é um sargento de 38 anos que pertence à Base Conjunta Lewis-McChord, situada nos arredores de Seattle (EUA). EFE

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)