Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Advogado fez gravação de Trump discutindo pagamento a modelo da Playboy

Gravação indica tentativa de silenciar mulher que alegava ter mantido caso com Trump em 2006, logo depois de sua esposa, Melania, dar à luz o filho Barron

Por Da Redação Atualizado em 20 jul 2018, 14h52 - Publicado em 20 jul 2018, 14h04

O advogado do presidente americano Donald Trump, Michael Cohen, gravou secretamente uma conversa que teve com seu cliente dois meses antes da eleição presidencial. Na conversa, Trump e Cohen discutem os pagamentos feitos a uma ex-modelo da Playboy que disse ter mantido um caso com o presidente. A revelação foi feita nesta sexta-feira pelo jornal The New York Times.

Citando “advogados e outros familiarizados com a gravação”, a publicação afirma que o FBI (polícia federal americana) confiscou o áudio durante uma revista no escritório de Cohen.

O Departamento de Justiça está investigando o envolvimento do advogado em pagamentos feitos a mulheres que alegavam ter se relacionado com Trump no passado. O objetivo era evitar que elas espalhassem notícias embaraçosas sobre o presidente antes das eleições de 2016.

Agora, os promotores apuram se esses depósitos violam as leis federais de financiamento de campanha.

Advogado de longa data do presidente, Cohen é visto como uma peça chave na investigação e, segundo o jornal americano, tem demonstrado uma certa disposição em cooperar com os promotores.

Continua após a publicidade

Rudolph W. Giuliani, o advogado pessoal de Trump, confirmou em uma conversa telefônica à publicação que o presidente havia discutido os pagamentos com Cohen na fita, mas disse que eles nunca chegaram a ser realizados. Ele afirma que a gravação tem menos de dois minutos e demonstra que Trump não fez nada de errado.

“Nada nessa conversa sugere que ele tivesse conhecimento disso com antecedência”, disse Giuliani, acrescentando que Trump havia solicitado a Cohen que, se ele fizesse algum pagamento relacionado à mulher, deveria fazê-lo com um cheque, e não em dinheiro, para que a transação pudesse ser devidamente documentada. “No grande esquema das coisas, são poderosas evidências de defesa”, disse Giuliani.

Karen McDougal

Os advogados de Cohen descobriram a gravação como parte de sua revisão dos materiais apreendidos.

A publicação não cita explicitamente a identidade da mulher, mas sugere que poderia se tratar da ex-modelo da Playboy Karen McDougal. Ela já havia dito publicamente que teve um caso de quase um ano com com o presidente americano em 2006, logo depois de a mulher de Trump, Melania, dar à luz seu filho Barron.

Durante os meses finais da campanha presidencial de 2016, McDougal vendeu sua história por 150.000 dólares ao jornal The National Enquirer, controlado por uma empresa cujo dono é um amigo pessoal de Trump, David J. Packer.

O tabloide, porém, nunca publicou a história, impedindo que ela se tornasse pública e silenciando McDougal pelo resto da campanha. A ex-modelo acusou Cohen de participar do acordo.

Continua após a publicidade

Publicidade