Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Acusado de violar Constituição, Trump envia tropas federais a mais cidades

Agentes estão desde início do mês em Portland, onde protestos crescem a cada dia; prefeito se juntou a manifestantes e foi atingido por gás lacrimogêneo

Por Da Redação Atualizado em 23 jul 2020, 11h21 - Publicado em 23 jul 2020, 11h06

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira 22 um reforço das tropas federais em cidades como Chicago, Albuquerque e Kansas City, em meio a uma polêmica pela mobilização de agentes do governo no país. Algumas horas depois, o prefeito de Portland, o democrata Ted Wheeler, foi atingido por gás lacrimogêneo depois de se juntar a manifestantes que protestavam contra o racismo e a brutalidade policial. A Casa Branca enviou no início do mês forças federais para conter os protestos na cidade da costa leste americana.

“Estou anunciando um aumento das forças de ordem federais nas comunidades afetadas por crimes violentos”, disse Trump na Casa Branca, em discurso que contou com a presença do procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, e dos diretores do FBI e do Departamento de Segurança Interna.

Barr anunciou que a “Operação Legenda” contará com cerca de duzentos agentes que serão enviados a Chicago, enquanto Albuquerque, no estado do Novo México, receberá trinta agentes. A operação já enviou duzentos agentes para Kansas City, no Missouri. O número de crimes com armas de fogo aumentou consideravelmente em diversas cidades americanas nos últimos meses, com mais de sessenta pessoas baleadas em Chicago, 14 de forma letal, no último fim de semana, de acordo com o Departamento de Segurança Interna.

O secretário do Departamento de Segurança Interna, Chad Wolf, defendeu a medida adotada pelo governo Trump, afirmando que é preciso distinguir o uso de agentes para conter manifestações em Portland e o envio de tropas para Chicago, onde “a missão é proteger o público dos crimes violentos das ruas”.

Trump alertou na segunda-feira que poderia enviar agentes federais a Nova York e a outras cidades governadas pelos democratas para proteger edifícios federais e acabar com o que chama de “colapso da lei e da ordem”. O aviso aconteceu após um incomum envio de agentes federais com uniformes militares para conter manifestações em Portland, no Oregon, algo que a oposição enxerga como abuso de poder e autoritarismo.

O reforço anunciado nesta quarta-feira, porém, envolve agentes federais que irão atuar em parceria com as forças de segurança locais, e não no controle de manifestações, como em Portland.

Os prefeitos de seis das maiores cidades dos Estados Unidos – Atlanta, Washington, Seattle, Chicago, Portland e Kansas City – afirmaram na segunda-feira em carta enviada a Barr e ao secretário do Departamento de Segurança Interna, Chad Wolf, que o envio de tropas federais violava a Constituição.

Continua após a publicidade

“Enviar unilateralmente estas tropas paramilitares a nossas cidades é totalmente inconsistente com nossa democracia e nossos valores básicos”, escreveram os mandatários. “É preocupante que forças federais sejam usadas com propósitos políticos”, completaram.

Nesta quarta-feira, Trump reafirmou querer “fortalecer a aplicação da lei, e não enfraquecê-la”, e opinou que mais agentes deveriam ser contratados, ao invés de seus opositores promoverem cortes nos orçamentos do departamento de polícia.

  • Manifestações em Portland

    Os protestos acontecem em Portland todas as noites há semanas, com forças de segurança frequentemente lançando gás lacrimogêneo e batendo em manifestantes com cassetetes. Ao visitar o local dos protestos, o prefeito Ted Wheeler foi vaiado por alguns manifestantes que pediram sua renúncia e gritaram “você devia se envergonhar!”. Eles disseram que o prefeito deveria ter feito mais para proteger os cidadãos de Portland.

    No entanto, quando estava em meio à multidão do lado de fora do Centro de Justiça de Portland, Wheeler, que usava uma máscara de proteção, foi atingido pelo gás lacrimogêneo. Imagens de vídeo o mostraram tossindo.

    Agentes federais abrigados no Centro de Justiça não deram sinais de recuo, indo frequentemente do lado de fora do prédio para lançar bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo na direção dos manifestantes.

    O envio de agentes federais a Portland no dia 4 de julho é o ponto focal de um debate nacional nos Estados Unidos sobre as liberdades civis e o que os manifestantes e autoridades locais veem como uma jogada política do presidente Donald Trump para lançar uma campanha de “lei e ordem” em um momento em que enfrenta dificuldades em uma batalha para tentar se reeleger na eleição presidencial deste ano.

    Wheeler, que é democrata, classificou a intervenção como um abuso do poder federal e disse que ela está escalando a violência. A quarta-feira registrou multidões cada vez maiores de apoiadores se juntando às manifestações.

    (Com AFP e Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade