Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

1992-1995: quatro anos de guerra na Bósnia

A guerra da Bósnia-Herzegovina (1992-95) deixou em menos de quatro anos cerca de 100 mil mortos e 2,2 milhões de refugiados e desalojados, a metade da população local antes do conflito.

–1992–

– 29 fev/1 mar: muçulmanos e croatas da Bósnia ratificam a independência da Bósnia-Herzegovina. Os sérvios, que boicotaram o referendo, proclamaram em janeiro de 1992 uma “República Sérvia da Bósnia”.

– 5 e 6 abr: última manifestação gigantesca a favor da paz em Sarajevo. As forças servo-bósnias, equipadas pelo Exército iugoslavo (JNA), controlado por Belgrado, se posicionam no alto de Sarajevo e instauram um cerco que durará toda a guerra e deixará mais de 10 mil vítimas.

– 6 abr: a CEE (hoje União Europeia) reconhece a Bósnia.

– 7 abr: a ONU decide mobilizar 14 mil homens na ex-Iugoslávia (FORPRONU).

– 22 maio: admissão da Bósnia-Herzegovina na ONU.

– 3 jul: proclamação de um “Estado” croata de Herceg-Bosna.

–1993–

– 25 mar: muçulmanos e croatas assinam o plano de paz Vance-Owen, rejeitado pelos servo-bósnios.

– 12 abr: a Otan lança a operação “Deny Flight” para fazer com que a zona de exclusão aérea decretada pela ONU em 9 de outubro de 1992 seja respeitada.

– 7 maio: depois de Srebrenica no dia 21 de abril, a ONU cria outras cinco “zonas de segurança” (Sarajevo, Tuzla, Zepa, Gorazde e Bihac).

– 20 ago: plano de Owen/Stoltenberg, rejeitado pelos muçulmanos.

–1994–

– 5 fev: um obus mata 68 pessoas e fere cerca de 200 em mercado de Sarajevo.

– 9 fev: cessar-fogo em Sarajevo, criação de uma zona de exclusão de armas pesadas ao redor da cidade pela ONU com ultimato da Otan aos sérvios.

– 28 fev: primeiro ataque aéreo da Otan, quatro aviões sérvios derrubados.

– 1 mar: acordo croatas/muçulmanos impulsionado por Washington para criar uma federação croata-muçulmana da Bósnia-Herzegovina, que põe fim a onze meses de conflito entre croatas e muçulmanos.

–1995–

– 25 maio: os servo-bósnios bombardeiam Tuzla, 71 mortos e 150 feridos.

– 26 maio: os servo-bósnios detêm centenas de funcionários da ONU, entre eles mais de 370 capacetes azuis, e os últimos são libertados no dia 18 de junho.

– 11 jul: Srebrenica (leste) cai nas mãos dos servo-bósnios, cerca de 8 mil muçulmanos mortos. Zepa é tomada no dia 25.

– 5 ago: após a tomada pelo Exército croata de Krajina, território croata controlado por separatistas sérvios, as forças armadas croatas e muçulmanas rompem o cerco de Bihac, noroeste da Bósnia.

– 13 ago: nova iniciativa diplomática de Washington inspirada no plano de paz do Grupo de Contato (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Alemanha e Rússia).

– 28 ago: bombardeio de um mercado de Sarajevo, atribuído aos servo-bósnios, 41 mortos e 84 feridos.

– 30 ago: começam 14 dias de ataques aéreos da Otan (operação “Deliberate force”) contra alvos sérvios na Bósnia.

– 14 set: acordo ONU/servo-bósnios para romper o isolamento de Sarajevo.

– 12 out: entra em vigor um cessar-fogo de 60 dias em todo o território da Bósnia, obtido por Washington.

– 21 nov: após 21 dias de negociações perto de Dayton (Ohio, EUA), rubrica de um acordo de paz global para a Bósnia pelo presidente bósnio, Alija Izetbegovic, pelo croata, Franjo Tudjman, e pelo sérvio, Slobodan Milosevic. Assinatura oficial, em Paris, no dia 14 de dezembro.