Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

As melhores lojas de chocolate do Rio de Janeiro

A lista integra a 23ª edição do guia VEJA COMER & BEBER dedicado à gastronomia da cidade

Por Pedro Tinoco 31 jul 2019, 00h01

Cacau Noir

Cacau trazido da Bahia abastece a fábrica, em Vargem Grande. De lá, os chocolates, de apresentação delicada, são distribuídos pela rede. A ampla linha de sabores inclui ganaches (R$ 3,80 a unidade) 80% cacau, de hortelã e de pimenta, bombons (a partir de R$ 3,30) de flor de sal e de vinho do Porto, macaron de framboesa e trufa de avelã (R$ 4,50 cada pedido). O expresso (R$ 6,50) pode completar o programa. Shopping da Gávea, 2º piso,3624-7611 (10 lugares). 10h/22h (dom. 14h/21h); Shopping Tijuca, 2º piso,2567-0252 (16 lugares). 10h/22h (dom. 13h/21h). Mais oito endereços. Aberto em 2005. Aqui tem iFood.

Chocolate Q

Iniciadas em 2007, as pesquisas envolveram a busca do cacau ideal, na Bahia, e a prova de mais de 1 200 tipos de chocolate mundo afora. À frente da saga, a chef Samantha Aquim criou os produtos que hoje vende em duas lojas no Rio e uma em Lisboa, Portugal. Seu menu inclui barras (R$ 30,00 cada uma) das mais suaves às intensas, caso da Q50 fazenda e da Q95 guache. O expresso de marca própria custa R$ 8,00. Rua Garcia D’Ávila, 149, loja B, Ipanema,2274-1001 (8 lugares). 10h/20h (fecha dom.); Aeroporto Internacional do Galeão (embarque internacional),3398-2175. 9h/23h. Aberto em 2012.

Dengo

Continua após a publicidade

No negócio paulista, de alma nordestina, cacau do Sul da Bahia é transformado pela chocolatière Luciana Lobo em guloseimas como as pepitas (R$ 28,00, 100 gramas), carameladas em açúcar orgânico, drageadas com chocolate 65% e polvilhadas com pó de cacau. Outros atrativos são os bombons recheados de frutas (R$ 4,20) e o quebra-quebra, placa de chocolate em diversas versões, entre elas a que leva cupuaçu e castanha-de-caju (R$ 22,00, 100 gramas). O café coado na hora custa R$ 8,00. Avenida das Américas, 3900, 2º piso (VillageMall), Barra,3252-2674. 10h30/22h30 (dom. 14h/20h). Aberto em 2018.

Envidia

Na pequena loja no Leblon, já premiada três vezes por VEJA COMER & BEBER, há sessenta variedades de chocolate. Ao leite, meio amargo, 70%, crocante de flor de sal e outras são vendidas por peso (R$ 300,00 o quilo). Sorvetes de produção local com textura de musse ganham sabores como coco, chocolate e limão (R$ 12,00 a bola). Ainda há tortas no menu. A envidia tem camadas de ganache de chocolate amargo, ganache de chocolate ao leite e biscoito de maracujá (R$ 15,00 a fatia). Rua Dias Ferreira, 106, loja A, Leblon,2512-1313 (25 lugares). 11h40/20h. Aberto em 2006.

Frédéric Epicerie (campeão de 2019)

Belga radicado no Rio, Frédéric De Maeyer brilhou por dezesseis anos na cozinha do Eça, restaurante instalado no subsolo da joalheria H.Stern e que fechou as portas em 2017. Lá, serviu notáveis sobremesas à base de chocolate, à época também premiadas por COMER & BEBER. Desde março, De Maeyer cria e vende delícias próprias neste ponto no Leme. A mercearia (em francês, épicerie), que o cozinheiro toca ao lado da mulher, Karina Zanette, e da equipe, é pau para toda obra: produz pães de fermentação natural vendidos por quilo (R$ 29,90, baguete e ciabatta; R$ 39,90, focaccia) e atrações para fomes de qualquer tamanho, do pão de queijo (R$ 2,50) ao robusto prato de arroz de linguiça artesanal com legumes e ovo caipira (R$ 68,00). Há poucas mesas no deque de madeira voltado para a rua e no pequeno salão, onde, à direita de quem entra, chama atenção a vitrine de doces. Ali, o chef faz lembrar os tempos do Eça, ao exibir preciosidades lapidadas em chocolate belga. Aviso: o texto a partir daqui contém spoiler. A barra (R$ 15,00) derrete na boca e cada bombom (R$ 3,50) traz uma surpresa, desde a forte presença da fruta nas versões cítrica e de cupuaçu até a textura aveludada do caramelo com flor de sal, passando pela crosta crocante que envolve a macia pedida de chocolate 70%. Outra linha de barras com castanhas (R$ 12,00 cada uma) tem instigante sugestão de ruby — o chocolate rosa, de coloração natural obtida por grãos especiais de cacau, é considerado a maior novidade no setor desde a invenção do chocolate branco, em 1936. O menu ainda aponta opções de combo, a exemplo do expresso levado à mesa na companhia de um macaron e de um bombom (R$ 12,00) e do cappuccino que faz par com dois bombons trufados (R$ 18,00). Frédéric De Maeyer volta ao pódio em grande estilo. Rua Gustavo Sampaio, 802, loja A, Leme,2146-9691 (20 lugares). 9h/20h (sex. a dom. até 21h; fecha seg.). Aberto em 2019. Aqui tem iFood.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)