Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vila Nova tropeça nos próprios erros e Guedes estreia com vitória

Por Da Redação 20 ago 2011, 18h20

Depois de bater a Portuguesa em pleno Canindé na estreia do técnico Artur Neto, o Vila Nova recebeu o Americana e viu acontecer o que não esperava: uma derrota. A Águia, mesmo inferior, se aproveitou de duas oportunidades para conquistar os três pontos no debute de Sérgio Guedes e vencer pelo placar de 3 a 1.

O Tigrão tentava impressionar ao torcedor diante de mais um adversário duro, quatro pontos à frente na classificação. Enquanto isso, o Americana veio sem Dodô, que completou o nono jogo de ausência por contusão. Nesse período, o time perdeu sete partidas, empatou uma e só venceu na última rodada o Sport, com dois gols de Fumagalli, herói e autor de mais dois gols diante do Vila Nova.

O Jogo

Toda a primeira etapa foi amplamente dominada pelo Vila Nova, que no início tinha dificuldades para trocar passes no meio-de-campo, mas logo conseguiu afrouxar a marcação do Americana e chegar com perigo ao gol adversário.

Bem escalado e distribuído em campo pelo técnico Artur Neto, o time goiano criou a primeira oportunidade de gol aos 15 minutos, quando Luiz Fernando cruzou da esquerda para Roni, que não aproveitou a oportunidade e mandou pela linha de fundo.

Os meio-campistas Luiz Fernando e David eram os grandes nomes do Vila Nova em campo, principalmente porque o time buscava se aproveitar das bolas paradas, especialidade de ambos.

Aos 20 minutos, o zagueiro Augusto construiu bela jogada desde o campo de defesa e tocou para Luiz Fernando, que acionou Wando dentro da área. Sem ângulo, tocou para Roni, que desperdiçou mais uma chance.

Continua após a publicidade

Sete minutos mais tarde, os goianos continuaram exercendo forte pressão. David cobrou escanteio pela direita e Roni fez o papel do centroavante: cabeceou no chão. O goleiro Jaílson se esticou todo para fazer linda defesa.

O primeiro chute a gol do Americana só aconteceu aos 39 minutos de jogo, quando André Luiz se aproveitou de uma bola perdida pelo Vila no meio-de-campo e bateu pela linha de fundo. Esse lance foi suficiente para inspirar a Águia, que um minuto depois acabou abrindo o placar.

Válber ajeitou a bola pela direita do ataque e muniu sua canhota para bater da entrada da área. A bola beliscou a trave direita, atravessou a linha, encostou na esquerda e tomou as redes.

Desesperados e já vaiados pela torcida presente no Serra Dourada, os jogadores do Vila Nova correram atrás dos gols perdidos e tentaram converter a posse de bola e o domínio em gols. A pressão exercida rendeu frutos aos 46 minutos, depois de Wando desperdiçar duas oportunidades reais na cara do gol, com Roni.

Após falta cobrada por Luiz Fernando, o experiente atacante, quase fora de campo, cabeceou rente ao chão e enganou Jaílson, que foi buscar a bola do gol de empate do Vila Nova na partida.

No segundo tempo, o Tigrão se apresentou muito mais ansioso, como se estivesse consciente da superioridade e quisesse reverter isso em gols rapidamente. Calmo, o Americana começou a gostar do jogo e ser mais ousado, tocando a bola no campo de ataque.

Em vacilo de Éder Lima, que queria recuar para o goleiro Michel Alves, tocou a bola sem força, parecendo mais um passe para Fumagalli, que protegeu e tocou na saída do goleiro, restabelecendo a vantagem do Americana.

Aos 40, mais uma vez em bola cruzada do lado direito, o time do interior paulista aumentou a contagem. Fumagalli, o matador do time na ausência de Dodô, marcou mais um e deu números finais ao marcador, fazendo o Americana chegar aos 27 pontos e o Vila Nova sair de campo muito vaiado pela torcida. De repente o Serra Dourada ficou vazio.

Continua após a publicidade
Publicidade