Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC 144: Henderson bate Edgar e é o novo campeão

Em noite de festa no Japão, Henderson conquista o cinturão dos leves

Após doze anos, o público japonês foi brindado com uma noite de grandes lutas e a vitória do novo campeão Ben Henderson sobre Frankie Edgar no evento principal do UFC 144, em Saitama. Edgar perdeu o título dos leves na sua quarta defesa de cinturão consecutiva na luta principal da noite: não foi páreo para seu compatriota Ben Henderson, 26 anos, nascido em Colorado Springs, que venceu por decisão unânime dos juízes (49 a 46, 48 a 47 e 49 e 46), após cinco rounds. Também foram aplaudidos pelo púbico japonês Ryan Bader, que venceu Quintom Rampage, e Mark Hunt, que derrubou o gigante francês Cheik Congo. Oito japoneses subiram ao octógono em noite de festa na Saitama Super Arena.

O duelo foi muito equilibrado entre Edgar e Henderson, com os dois lutadores encaixando bons golpes e levando o adversário ao chão em algumas oportunidades. Mas Henderson se mostrou muito mais inteiro e foi mais consistente durante os cinco rounds. Edgar, que passou a maior parte da luta com o olho roxo e um sangramento no nariz, teve muitas dificuldades, sobretudo no segundo round, quando recebeu uma sequência de socos e foi salvo pelo estouro do cronômetro. Esta foi a 16ª vitória de Henderson, em 18 lutas disputadas.

Volta – O evento não acontecia no país desde 2000, quando o UFC ainda não era presidido por Dana White e vivia às sombras do Pride, grande febre entre os asiáticos – o evento foi comprado em 2005 pelo UFC. Em um dos momentos mais memoráveis da noite, o americano peso-pesado Quinton Rampage foi ovacionado ao entrar no octógono ao som da música do extinto Pride. O lutador, muito querido entre os japoneses, uivou, fez caretas e animou o público antes do combate contra seu compatriota Ryan Bader. Rampage fez lutas históricas contra o brasileiro Wanderley Silva nos tempos de Pride e é idolatrado no país. Mal preparado fisicamente, porém, foi surpreendido por Ryan Bader, que dominou a luta e venceu por decisão unânime dos juízes.

Outra surpresa da noite, o francês Cheick Congo não confirmou seu favoritismo e foi facilmente derrotado pelo neozelandês Mark Hunt por nocaute técnico. O rechonchudo Hunt acertou uma sequência de socos que derrubou o gigante Congo em apenas dois minutos e 11 segundos de combate.

Okami – Em uma das melhores lutas da noite, o americano Tim Boetsch se recuperou de forma incrível e venceu o japonês Yushin Okami, na categoria dos médios. Okami, que voltou ao octógono após a derrota para o brasileiro Anderson Silva no primeiro UFC Rio, dominou os dois primeiros rounds e esteve perto da finalização. No terceiro, porém, Boetsch encaixou vários diretos e uppers que levaram o japonês ao chão. O presidente do UFC, Dana White, declarou no Twitter que esta foi a melhor “virada” do ano.

Em seguida, outro japonês também decepcionou. Entre os meio médios, Yoshihiro Akiyama, que vinha de três derrotas seguidas – a última para Victor Belfort no UFC 133 -, fez uma boa luta, mas foi dominado pelo americano Jake Shields no segundo e terceiro rounds e saiu derrotado por decisão dos árbitros.

Em outra disputa com lutador “da casa”, o japonês Hatsu Hioki não deu chances e venceu o polonês Bart Palaszewski, por decisão dos árbitros, na categoria peso-pena. Hioki mostrou excelente forma, dominou o combate em todos os rounds e se credenciou como um dos favoritos a enfrentar o brasileiro José Aldo, na disputa pelo cinturão da categoria.

Nocaute – Na primeira luta do card principal, o americano Anthony Pettis precisou de apenas um minuto e 21 segundos para nocautear seu compatriota Joe Lauzon, na categoria leve. Pettis acertou um chute certeiro na cabeça do oponente, que ainda levou três socos no chão antes de o juiz interromper a luta.

Entre as lutas do card preliminar, três vitórias de lutadores locais. No único duelo entre japoneses, Takanori Gomi encaixou incrível sequencia de socos e bateu Eiji Mitsuoka, por nocaute técnico, na categoria peso-leve. Gomi também é um ex-campeão do Pride e levou a torcida ao delírio após a vitória. Entre os peso médio, o japonês Riki Fukuda bateu o americano Steve Cantwell, por decisão unânime dos juízes.

Na categoria galo, Chris Cariaso deu o troco para os Estados Unidos e venceu o japonês Takeya Mizugaki também por decisão unânime. Pela mesma categoria, o inglês Vaughan Lee venceu por finalização o japonês Norifumi Yamamoto, com uma chave de braço. Na primeira luta da noite, o japonês Issei Tamura venceu o chinês Tiequan Zhang, com um potente soco, na categoria dos pena, em um dos nocautes mais espetaculares da noite.