Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tricolor avisa Dagoberto: não fará loucuras para renovar contrato

Responsável por tentar renovar o contrato de Dagoberto, o diretor de futebol Adalberto Baptista está pessimista. A intenção do atacante em trocar o clube por uma equipe do exterior torna difícil para o São Paulo manter o seu artilheiro e líder de assistências na temporada porque os dirigentes se recusam a oferecer um salário de nível europeu.

‘Fizemos uma proposta de valorização muito importante, mas ele quer ir para o exterior. Se for, dificilmente vamos concorrer. Temos um padrão, uma linha de conduta e um respeito ao nosso orçamento. Não vamos mudar por ele’, avisou Adalberto Baptista.

O atacante tem vínculo até 18 de abril e, a partir de 19 de outubro, está livre para assinar um pré-contrato e mudar de time sem o Tricolor, que pagou R$ 5,4 milhões por ele em 2007, receber nada. O camisa 25 exige um aumento em valores que a diretoria se recusa a aceitar.

No último encontro com Marcos Malaquias, empresário de Dagoberto, Adalberto Baptista fez uma proposta e ainda espera pela resposta. O jogador, contudo, prefere negociar com clubes europeus e só vai aceitar o que foi oferecido se não conseguir nada mais vantajoso financeiramente.

O São Paulo admite perder o jogador, mas não espera que seja prejudicado pelo Santos. O dirigente até cogita que o atacante vá para a Vila Belmiro, mas que antes será informado pelos cartolas do Peixe, e não pelo desafeto Andrés Sanchez.

‘O Luis Álvaro [de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos] jamais negociaria ou tomaria qualquer atitude sem, pelo menos, nos comunicar. E ele não faria isso pelo Andrés Sanchez’, disse Adalberto Baptista, rebatendo o presidente do Corinthians, que na semana passada ‘anunciou’ o acerto do artilheiro do Tricolor na temporada com o Santos com luvas de R$ 2 milhões e salários de R$ 300 mil.

De acordo com o diretor de futebol da equipe do Morumbi, quem fala a verdade é o presidente do clube praiano, que tem total confiança da cúpula são-paulina e nega o acerto. ‘Nossa negociação com a troca entre Rodrigo Souto e Arouca foi com relacionamento perfeito. Temos amizade’, ratificou.

Mudar de clube, mas não de país, entretanto, não deixará mágoa em Adalberto Baptista, bastante elogiado por Dagoberto e seu empresário. ‘Se ele decidir por outro clube brasileiro, vai nos comunicar e a vida segue’, minimizou o dirigente.