Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tite festeja vitória com esposa e chora ao telefone

Treinador admitiu emoção por estrear na seleção brasileira com vitória sobre o Equador e dividiu méritos com outros treinadores do país – inclusive Dunga

Tite não conteve sua emoção depois de estrear no comando da seleção brasileira com vitória sobre o Equador por 3 a 0, nesta quinta-feira, em Quito, onde o Brasil não vencia havia 33 anos. Logo após a partida, o treinador ligou para a sua mulher, Rose, e chorou ao telefone. “Não quero falar sobre om próximo jogo, com a Colômbia, só quero curtir essa vitória. Estou com vergonha de dizer que liguei para minha esposa e choramos no telefone, um choro de alegria.”

O treinador disse ter “os pés no chão” e não estar “eufórico” com a estreia.  Mas destacou a boa atuação do Brasil, sobretudo na segunda etapa, quando o time administrou a posse de bola e cansou o adversário. “São jogos de alto nível, os atletas merecem muito meu elogio. Era um desafio muito grande fazer frente ao Equador, mas eles venceram e mereceram, principalmente pelo segundo tempo.”

Leia também:
Gabriel Jesus celebra estreia perfeita: ‘Tite me deu confiança’

Com dois de Gabriel Jesus, Brasil bate Equador na estreia de Tite
Argentina bate Uruguai com gol de Messi e lidera

O técnico da seleção também dividiu os méritos com Rogério Micale, o treinador da seleção olímpica, ressaltando a presença de quatro atletas – Marquinhos, Renato Augusto, Neymar e Gabriel Jesus – entre os campeões da Rio-2016 que jogaram no Equador. “Obrigado Micale, obrigado seleção olímpica, que emprestou um espírito competitivo muito grande. As coisas estão ligadas”

Ao elogiar o destaque do jogo, Gabriel Jesus, Tite também valorizou a conversa que teve com os últimos treinadores do jogador no Palmeiras. “Tenho que ser justo. Cuca, Marcelo Oliveira e Oswaldo de Oliveira trabalharam com Gabriel. Isso me ajudou muito, falei com eles. Enchi o saco de muitos técnicos brasileiros. Fica meu agradecimento. A vitória foi muito em função deles”.

A solidariedade de Tite se estendeu até mesmo a seu antecessor Dunga e ao ex-coordenador Gilmar Rinaldi. “Eles pegaram a seleção num momento muito difícil. Estou dando sequência a esse processo. Foi um legado de Dunga, com atletas que já trabalhavam na seleção desta forma. Ele proporcionou isso”.

O segundo jogo de Tite no comando da seleção acontece na próxima terça-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena da Amazônia, em Manaus. A Argentina lidera as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018 com 14 pontos. O Brasil é o quinto, com 12.

O jogador Neymar Tite abraça Neymar após primeiro gol da seleção em Quito

Tite abraça Neymar após primeiro gol da seleção em Quito (Pedro Martins / MoWA Press/Divulgação)

(com Estadão Conteúdo)