Clique e assine a partir de 9,90/mês

Tite condena expulsão, mas absolve Vitor Jr. por empate

Por Da Redação - 5 fev 2012, 19h26

Por Marcius Azevedo

São Paulo – O meia Vitor Júnior não foi apontado como único culpado pelo tropeço no Pacaembu – empate por 1 a 1, neste domingo, pela quinta rodada do Campeonato Paulista -, mas o técnico Tite, mesmo evitando palavras mais fortes, condenou a expulsão. Ele recebeu o segundo cartão amarelo, logo o vermelho, no momento em que o Corinthians pressionado atrás da virada contra o Bragantino.

“Quando se veste a camisa de um grande clube, isso é acompanhado de responsabilidade. Quando tem oportunidade, você quer fazer acontecer rápido. Coloquei a ele no vestiário. Não vou passar a mão na cabeça. O erro é da falta de maturidade”, discursou o treinador. “Eu disse a ele para cercar, não segurar a camisa, não tentar dar o bote. Ninguém bota a culpa em ninguém. Nós poderíamos ter vencido, independentemente dele ser expulso ou não. Foi excesso de vontade”.

O goleiro Júlio César acompanhou o raciocínio do comandante. “Foi um lance bobo, o Vitor sabe que errou. A gente poderia ter vencido, mas não deixamos de vencer somente por causa da expulsão”, disse o jogador, que culpou ainda o árbitro. Segundo ele, Leonardo Ferreira Lima permitiu o antijogo do Bragantino. “Pô, eles bateram muito, o árbitro ficou o jogo inteiro falando: é a última, não aviso mais, em cada falta deles. Mas deveria expulsar porque eles vieram aqui pra bater mesmo”.

Continua após a publicidade
Publicidade