Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Tite cita adrenalina da Libertadores ao explicar contraste com 2011

Por Da Redação - 27 maio 2012, 23h42

O início de campanha do Corinthians no Campeonato Brasileiro de 2012 é completamente oposto ao de 2011. Priorizando a Copa Libertadores da América, os comandados de Tite já somam duas derrotas (contra Fluminense e Atlético-MG) nas duas primeiras rodadas da competição nacional que venceram no ano passado.

‘Mas é difícil sair de um jogo de Libertadores e ficar mobilizado, focado. Fui atleta e sei como funciona. Estou olhando o lado do ser humano. Eu mesmo demorei dois dias para dormir tranquilo depois da partida contra o Vasco porque a adrenalina estava muito alta. Os atletas também sentem isso’, justificou Tite.

Apesar da explicação, o treinador garantiu ter advertido seus jogadores sobre os perigos de largar mal no Brasileiro. ‘Cobrei da equipe toda e de mim mesmo que não dá para parar e respirar em um jogo com uma grande equipe como o Atlético-MG. Estamos em duas competições muito importantes’, disse.

Sem pontos ganhos no Brasileirão até então, Tite já fala com saudosismo sobre o bom princípio de campeonato que garantiu a conquista da última temporada. ‘E, no final, passamos uns 30 jogos de 38 na liderança. É algo difícil para uma competição tão equilibrada como essa. Será complicado alguém repetir o que fizemos. O Brasileiro é o único torneio do mundo que começa com 12 times podendo chegar ao título’, valorizou.Justamente pelo equilíbrio do Campeonato Brasileiro, é fundamental somar pontos desde as primeiras rodadas. Os jogadores do Corinthians concordam com o raciocínio. ‘No ano passado, o diferencial foi o nosso bom começo’, afirmou o zagueiro Leandro Castán. ‘Sabíamos que era importante deixar a Libertadores um pouco de lado contra o Atlético-MG, até porque já havíamos estreado com derrota. Precisamos correr atrás rapidamente’, concluiu o lateral direito Alessandro.

Publicidade