Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Timão admite oferta maior e aposta em conversa cara a cara por Montillo

O Corinthians irá intensificar nas próximas horas a negociação para contratar o meia Montillo junto ao Cruzeiro. A equipe de Parque São Jorge acredita que pode dobrar o clube mineiro com a presença de um diretor em Belo Horizonte para concretizar o negócio – o encontro deve ocorrer nas próximas horas.

‘Tem de haver uma reunião (ao vivo), até então está indefinido, os envolvidos precisam sentar para conversar’, reconheceu o gerente de futebol Edu Gaspar, após a reapresentação do Alvinegro para a temporada 2011. ‘Eu estou animado, não posso negar, principalmente pelo que ouvi do jogador e seu representante’, completou.

O diretor de futebol Duílio Monteiro Alves irá comandar as conversas cara a cara com o Cruzeiro. O Corinthians não descarta, inclusive, aumentar a oferta pelos direitos do argentino, apesar de o presidente corintiano, Roberto de Andrade, ter anunciado que o atleta não vale 15 milhões de euros, valor estipulado no fim do ano passado.

Em Belo Horizonte, o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, participou da reapresentação do elenco e deixou as portas abertas para recepcionar os corintianos. Porém, foi claro: a viagem será perdida dependendo da proposta.

‘A partir do momento em que você está sentado para negociar, com valores importantes, tudo pode acontecer. Acho que vale pena ir o nosso representante para buscar uma saída para essa negociação. Eu vou estar torcendo’, rebateu Edu Gaspar.

Em função da questão de Montillo, a diretoria do Cruzeiro chegou a criticar a postura do Corinthians, com a reclamação de que houve um aliciamento na sua principal estrela. Edu Gaspar rechaça a acusação, porém evita prolongar a polêmica com os mineiros.

‘Essa coisa de aliciar não é verdadeira, o Montillo está sendo pretendido por muitas equipes, por vários times. O problema é que o Cruzeiro acabou o ano passado de um jeito que não esperava, não alcançou a vaga na Libertadores. Mas agora é a hora das negociações, o mercado pede isso’, disse o gerente do campeão brasileiro.