Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Temor de violência marca reencontro de Sérvia e Itália

Por Da Redação - 6 out 2011, 12h18

Por AE-AP

Belgrado – Sérvia e Itália voltam a se encontrar nesta sexta-feira, um ano depois do jogo entre os dois países, em Gênova, ter sido interrompido logo aos seis minutos do primeiro tempo por causa da violência da torcida. Dessa vez, sérvios e italianos vão jogar em Belgrado, também pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2012, e existe temor de novos distúrbios dos torcedores.

No jogo realizado no dia 12 de outubro de 2010, em Gênova, houve confusão dentro e fora do estádio, tanto antes quanto depois do apito inicial. Diante dos distúrbios provocados pela torcida sérvia, o árbitro cancelou a partida por falta de segurança. Depois, a Uefa declarou a anfitriã Itália como vencedora do confronto, pelo placar de 3 a 0.

Líder dos distúrbios, o torcedor sérvio Ivan Bogdanov chegou a ser preso e condenado pela Justiça italiana, sendo deportado posteriormente para o seu país. Além disso, a seleção da Sérvia foi obrigada a jogar com estádio vazio, sem torcida, no seu jogo seguinte nas Eliminatórias da Eurocopa, contra a Irlanda do Norte, em março.

Publicidade

Agora, porém, a torcida terá acesso ao estádio em Belgrado, que tem capacidade para 55 mil pessoas e deverá estar lotado nesta sexta-feira. E a Uefa já alertou os sérvios para possíveis distúrbios. “Nos disseram que se houver novo incidente, não haverá perdão. Mas estou confiante de que nada acontecerá”, disse o presidente da Federação da Sérvia, Tomislav Karadzic.

Apesar do temor da Uefa com novos casos de violências, jogadores e treinadores da Sérvia e da Itália tentam se concentrar apenas no jogo, esquecendo os torcedores. Faltando apenas duas rodadas para o final das Eliminatórias, a seleção italiana já assegurou a primeira colocação do Grupo C e está garantida na Eurocopa. Enquanto isso, os sérvios ainda buscam vaga na repescagem.

Publicidade