Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Sem Neymar e Lucas, Mundial Sub-20 coloca outros brasileiros na vitrine

Por Da Redação 1 jan 2012, 13h42

Destaques da vitoriosa campanha verde-amarela no Sul-americano Sub-20, no início do ano, o santista Neymar e o são-paulino Lucas já marcam presença constantemente nas convocações de Mano Menezes e se dividem entre seus clubes e a seleção principal. Por isso, não disputam o Mundial Sub-20 que será decidido por Brasil e Portugal neste sábado, às 22 horas (de Brasília).

A ausência de dois dos maiores talentos do futebol brasileiro abriu espaço para o brilho de outros jovens, antes ofuscados. O posto de estrela maior, que teoricamente seria do meia Philippe Coutinho, da Inter de Milão, único entre os convocados que atua no futebol europeu, até aqui vem sendo dividido por vários atletas.

Destaques na campanha da equipe canarinho, o goleiro Gabriel (Cruzeiro), o volante Casemiro (São Paulo), o meia Oscar (Inter) e o atacante Henrique (São Paulo) se valorizaram e se credenciam como boas apostas para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem, quando o Brasil vai em busca da inédita medalha de ouro.

Outros nomes que podem ser citados são os atacantes talismãs que ganharam visibilidade ao longo do torneio por colocarem fogo nos jogos depois de saírem do banco de reservas: Dudu, do Cruzeiro, e Negueba, do Flamengo. Eles sonham em ter o mesmo destino do lateral direito Danilo, do Santos, convocado pelo técnico Mano Menezes para o amistoso contra Gana.A campanha

O Brasil estreou contra seu mais forte concorrente no Grupo E, o Egito, e não passou de um empate por 1 a 1, com gol de Danilo. Mas a classificação em primeiro lugar veio sem sustos após as vitórias sobre Áustria, por 3 a 0, (gols de Henrique, Philippe Coutinho e Willian José) e Panamá, por 4 a 0 (Philippe Coutinho, duas vezes, Henrique e Dudu).

Nas oitavas de final, novo avanço sem grandes problemas: 3 a 0 sobre a Arábia Saudita, com gols de Gabriel Silva, Henrique e Dudu.

Nas quartas, veio o primeiro grande desafio do time no torneio, contra a Espanha. Willian José e Dudu marcaram os gols do empate por 2 a 2 com a bola rolando (1 a 1 no tempo normal e novo 1 a 1 na prorrogação). Nos pênaltis, cenário traumática para o País após a eliminação na Copa América, Gabriel defendeu duas cobranças e garantiu a vitória por 4 a 2.

Na semifinal, o México impôs mais dificuldade do que o esperado, mas as entradas de Negueba e Dudu na segunda etapa mudaram o jogo. Os reservas deram as assistências para os gols de Henrique na vitória por 2 a 0. Nesta partida, Gabriel voltou a ganhar destaque: ele sofreu um chute no rosto, ficou com o olho bastante inchado e mesmo assim ficou em campo até o fim.

Com as defesas de Gabriel, a segurança de Casemiro, as assistências de Oscar e os gols do artilheiro Henrique (já são cinco no torneio), o Brasil busca, diante de Portugal, seu quinto título mundial da categoria. Boa oportunidade para se aproximar da hexacampeã Argentina.

Continua após a publicidade
Publicidade