Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

São Paulo convoca torcida para produzir filme do Mundial de 2005

Satisfeito com o alcance comercial do filme ‘Soberano’, que retrata a conquista dos seis títulos brasileiros, o São Paulo procurou a mesma equipe para produzir um longa-metragem sobre o seu último Mundial, em 2005. A base, porém, será com depoimentos e história de torcedores sobre o dia em que o clube garantiu uma terceira estrela vermelha em seu escudo.

Por cerca de 30 dias, o site http://www.soberano2.com.br estará aberto para que os são-paulinos enviem vídeos, imagens e registrem depoimentos também por escrito sobre 18 de dezembro de 2005, quando o time venceu o Liverpool por 1 a 0 em Yokohama, no Japão, e assegurou o tricampeonato mundial. Quem acessar ainda poderá escolher o pôster do filme – existem seis opções e a mais votada será utilizada.

Carlos Nader e Mauricio Arruda, que já dirigiram ‘Soberano’ e manterão a parceria que também envolve a produtora G7 Cinema para o filme ‘Soberano 2 – A Heroica Conquista do Mundial de 2005, avisam que a ideia inicial é manter o foco na final do Mundial de Clubes, com bastante espaço para quem foi ao Japão acompanhar o jogo. Mas flexível de acordo com os depoimentos que forem enviados.

‘Um documentário é feito com a realidade. Estamos abertos ao que aparecer, às historias. Mas a diferença central em relação ao primeiro ‘Soberano’ é o fato de ser um jogo só. Vai ter um prólogo com a conquista da Libertadores, a viagem para o Japão, a semifinal do Mundial, mas imaginamos que o jogo da final vai tomar grande parte do filme’, disse Nader.

‘É tão importante quem viu o jogo daqui do Brasil quanto quem viu do Japão, mas, revendo o jogo agora sem torcer, vemos que a torcida do São Paulo dominou o estádio totalmente, devia ter uns 80%. Quem foi lá tem depoimentos importantes’, argumentou Arruda.

Já é certo, entretanto, que Rogério Ceni será o principal personagem por seu desempenho na decisão. ‘O Rogério foi o que o Maradona foi para a Argentina na Copa do Mundo de 1986. Fechou o gol e todo o jogo foi marcado por isso. E ele, que tem mais de mil jogos pelo São Paulo, diz que esse foi o mais importante’, falou Nader, são-paulino que se define como ‘diretor-torcedor’, assim como Arruda.

Como ocorreu no primeiro ‘Soberano’, Nando Reis, ex-Titãs, será responsável por compor músicas exclusivas para o novo longa-metragem, que tem conclusão prevista para o primeiro trimestre do próximo ano. Jogadores que participaram da conquista e o técnico Paulo Autuori darão entrevistas para a produção.

Até agora, o único entrevistado foi Lugano, e a direção já avisou que um dos pontos altos foi a lembrança da chegada da delegação, recebida por milhares de são-paulinos. O zagueiro, hoje no PSG, da França, registrou tudo em vídeo. ‘A capital parou e vimos que o São Paulo é um clube de massa. Foi o momento mais emocionante por ser uma recepção jamais vista’, lembrou Julio Casares, vice-presidente de comunicações e marketing do clube.

Nas próximas semanas, além de Rogério Ceni, serão entrevistados Mineiro, autor do gol do título, Aloisio, responsável pela assistência, e Paulo Autuori, entre outros. O objetivo é que o filme tenha, pelo menos, números similares ao ‘Soberano’, assistido por mais de 50 mil pessoas nos cinemas e com cerca de 45 mil DVDs vendidos.