Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santos vive expectativa pela volta de Ganso no domingo

Por Sanches Filho

Santos – Com a ausência do técnico Muricy Ramalho nesta terça-feira, no Centro de Treinamento Rei Pelé, Paulo Henrique Ganso não apareceu no campo, mas acelerou na preparação física para voltar ao time contra o Vasco, no próximo domingo, na Vila Belmiro. Faltam apenas dois treinos técnicos, um coletivo e recreativo para o camisa 10 se juntar a Neymar, Arouca e, possivelmente Borges, em um jogo depois de dois meses parado em razão da lesão muscular que sofreu no amistoso entre Brasil e Gana, no dia 5 de setembro, em Londres.

Muricy Ramalho considera Paulo Henrique Ganso um jogador raro, muito acima da média dos armadores que atuam no Brasil, e fundamental para aumentar as possibilidades de o Santos conquistar o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão, mesmo se tiver pela frente o temível Barcelona, de Lionel Messi, na decisão.

Por isso, o retorno do maestro, que seria no máximo em seis semanas, aumentou para oito. Se nos treinos desta quarta, no de quinta, no de sexta e no recreativo de sábado não acontecer nada de errado, ele começará como titular contra o Vasco, depois de ter desfalcado a equipe em 12 jogos pelo Campeonato Brasileiro.

O mais difícil nos últimos dias foi controlar a ansiedade do jogador, que queria voltar a jogar contra o Botafogo, no dia 19 do mês passado, e teve de ser convencido por Muricy de que não valia a pena correr riscos. “Ganso sabe que vai precisar estar 100% no Mundial. Já conversei com ele a respeito. Pelo seu histórico de lesões, vai fazer uma preparação forte na semana, participar de um coletivo, o que não aconteceu até agora, para readquirir a confiança”, disse o treinador.

A preocupação de Muricy faz sentido. Ao contrário de Neymar, recordista em jogos disputados (62) na temporada e que leva muitas pancadas, mas passa longe do departamento médico, Paulo Henrique Ganso se contunde com frequência. “O importante é que o jogador tenha total segurança para não voltar a se machucar mais até o fim do ano”, acrescentou o técnico.

Neste ano, Paulo Henrique Ganso teve poucos momentos de alegria e muitos de incerteza. Ele voltou de cirurgia do joelho esquerdo em março e quando dava sinais de total recuperação do seu futebol, sofreu a lesão muscular na coxa direita no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista contra o Corinthians, no dia 8 de maio. A recompensa só veio no dia 22 de junho, quando voltou a jogar e ajudou o Santos a conquistar a terceira Copa Libertadores da América de sua história.

Mas, logo em seguida, teve outra frustração com o fraco desempenho na seleção brasileira na Copa América, na Argentina. Agora, Paulo Henrique Ganso sonha com o título mundial para recuperar o prestígio internacional e apagar da memória os momentos negativos. E o recomeço será neste domingo.