Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Rivaldo marca no fim e livra São Paulo de derrota para o Botafogo

Por Da Redação 25 set 2011, 18h02

O São Paulo perdia para o Botafogo até os 46 minutos do segundo tempo, quando Rogério Ceni cobrou falta na área e Rivaldo, de cabeça, decretou o 2 a 2 no Engenhão.

O resultado derruba as duas equipes na tabela de classificação. O terceiro colocado São Paulo agora tem 46 pontos, um a menos que o Botafogo, que está em quarto. O líder Vasco está com 49, enquanto o Corinthians, em segundo, soma 47.

O Fogão tem 47 pontos, dois a menos que o líder Vasco, que derrotou o Cruzeiro. O Corinthians, que também venceu na rodada, tem a mesma pontuação do Glorioso, mas perde no saldo de gols. O Tricolor, por sua vez, permanece com 45 e agora está em quarto lugar.

O São Paulo agora transfere suas atenções para outro rival carioca. No próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), o Morumbi estará lotado para a tão aguardada estreia do atacante Luis Fabiano. No mesmo dia, mas às 18 horas, o Fogão enfrentará o Atlético-GO, em Goiânia.

O jogo – Escalado com Marlos na vaga do contundido Dagoberto, o São Paulo entrou em campo disposto a apostar na velocidade. O problema é que o Botafogo não se lançou com toda força à frente e optou por contra-atacar. Mesmo sofrendo alguns sustos e tendo menor posse de bola, os cariocas foram superiores na primeira etapa.

Aos 14 minutos, o lateral Lucas recebeu cruzamento da direita e acertou a trave de Rogério Ceni. Era pela esquerda, porém, que o Botafogo mais assustava a defesa do São Paulo, perdida com Xandão na vaga de João Filipe, que ficou fora por ainda ter vínculo com o Glorioso.

Continua após a publicidade

Mesmo encontrando dificuldades para entrar na área e sentindo falta do suspenso Casemiro, volante que ajuda na armação e foi substituído por Denilson, mais marcador, o São Paulo criou duas chances boas antes de ser vazado. Aos 20, Juan cruzou e Cícero apareceu como centroavante para cabecear e dar trabalho a Renan, substituto do suspenso Jefferson. Aos 24, após contra-ataque, Lucas tentou marcar por cobertura e mandou para fora.

Era o último suspiro são-paulino na etapa inicial. No lance seguinte, Maicosuel fez linda jogada pela esquerda, deixou Denilson para trás e chegou ao fundo para servir Loco Abreu, que, sozinho na pequena área, empurrou de canela para o fundo das redes. A desvantagem atordoou os paulistas, que sofreram mais um aos 38. Depois de Rogério Ceni fazer ótima defesa em chute de Abreu, Wellington derrubou Renato. Pênalti batido e convertido por Loco Abreu, deslocando o arqueiro rival com um chute rasteiro em seu canto esquerdo.

As dificuldades fizeram com que Adilson Batista apelasse para Rivaldo, que entrou na vaga de Juan no intervalo. Carlinhos Paraíba foi deslocado para a lateral esquerda. Não houve resultado imediato e o Botafogo teve incrível chance para marcar o terceiro aos 14 minutos. Loco Abreu, livre na pequena área e sem goleiro à frente, chutou por cima.

O lance despertou os visitantes. Aos 17 minutos, Marcelo Mattos recuou e Renan pegou com a mão. Na cobrança do tiro livre indireto, Antônio Carlos se jogou para evitar gol de Lucas. No lance seguinte, quem salvou foi Renan após cabeçada de Xandão. O gol estava amadurecendo, mas faltava um centroavante para fazê-lo.

Quando Henrique substituiu Marlos, aos 18, o problema foi resolvido. Dois minutos mais tarde, o camisa 17 aproveitou rebote de Renan em chute de Cícero e diminuiu. Quatro minutos depois, ele deixou Wellington na cara do gol e viu o volante acertar a trave esquerda do goleiro botafoguense.

Caio Junior agiu aos 28 minutos, trocando Maicosuel por Felipe Menezes. Adilson, por sua vez, trocou Piris por Jean. Com 33, Cidinho substituiu Herrera e o Fogão passou a apostar definitivamente nos contra-ataques, enquanto os são-paulinos pressionavam. O ferrolho foi bem armado e o gol de Renan não foi seriamente ameaçado até os 46 minutos.

Cidinho já havia entrado para Abreu ser aplaudido quando Lucas sofreu falta pela meia direita. Rogério Ceni saiu da meta para levantar na área, na cabeça de Rivaldo, que balançou as redes. Dois minutos depois, em contra-ataque, o camisa 10 recebeu livre pela esquerda e tentou encobrir Renan, mas mandou por cima.

Continua após a publicidade
Publicidade