Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Riquelme se rende ao talento do Barça: ‘Todos gostamos de ver’

Madri, 19 dez (EFE).- Jogador do Barcelona na temporada 2002/2003, o argentino Juan Román Riquelme, atualmente no Boca Juniors, concedeu entrevista ao site da Fifa nesta segunda-feira e fez comentários sobre o elenco atual do clube catalão, que neste domingo se sagrou campeão mundial ao golear o Santos por 4 a 0 em Yokohama, no Japão.

‘Todos gostamos de ver o Barcelona. O clube teve a felicidade de reunir vários jogadores que não vão mais se repetir: Messi, Iniesta, Xavi, Piqué, todos na mesma equipe, na mesma época. São privilegiados, todos gostam de vê-los’, considerou o meia de 33 anos, que elogiou seu compatriota Lionel Messi, com quem supostamente teve problemas, mas exaltou principalmente o futebol do meia Andrés Iniesta.

‘O Messi é o maior, o melhor do mundo. Cristiano Ronaldo é como um jogador do Playstation, conclui de perna direita, perna esquerda, é alto, rápido, cabeceia, faz gols de pênalti, de falta, é habilidoso. Mas acho que quem joga melhor é o Iniesta: sabe quando tem de ir para o ataque e quando precisa voltar. Se ele tem a bola dominada do lado esquerdo, observa quem está na direita, percebe tudo o que tem de fazer. Sabe o momento de driblar, de ir mais rápido, mais lento’, analisou o camisa 10 do Boca.

Desde que o técnico Josep Guardiola assumiu o Barça, a equipe não foi campeã em apenas três dos 16 campeonatos que disputou. Na opinião de Riquelme, é difícil bater o time catalão, principalmente em um torneio de pontos corridos.

‘É difícil. Em uma competição no formato mata-mata, com sorte se pode ganhar. Mas em um campeonato longo eles raramente perderão’, avaliou.

O atleta argentino comparou o momento atual do Barcelona com o da época em que ele fazia parte do clube. Para ele, a tranquilidade vivida nos dias de hoje ajuda os jogadores a mostrarem seu melhor futebol.

‘Quando uma equipe joga bem, tem tranquilidade e confiança, dá gosto vê-la jogar. Eu cheguei em um ano em que havia eleições e muitos problemas, muita tensão. Mas hoje estou no lugar em que quero estar: o Boca é o meu clube e a minha casa. Gosto muito do lugar em que estou’, declarou.

Riquelme reiterou ainda o desejo de voltar a atual pela seleção argentina e disputar a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil, o que, segundo ele, é um pedido do filho.

‘Ele adora futebol, tem nove anos e sabe que a Copa do Mundo será no Brasil. Vou tentar continuar jogando futebol. Sei que vai ser complicado, que vou estar com uma idade bastante avançada, mas terei a esperança e o desejo de estar na Copa do Mundo. Se não for jogando, vou apoiar a nossa seleção como torcedor’, sustentou. EFE