Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Reservas do Santos vencem o Ceará por 3 a 2 e Diogo marca o primeiro

Por Da Redação 13 nov 2011, 17h57

Com um time completamente reserva (inclusive o técnico), já que iniciou seu planejamento para o Mundial de Clubes de dezembro, o Santos visitou o Ceará no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, e conseguiu a vitória por 3 a 2, com dois gols marcados pelo zagueiro Bruno Aguiar e um por Diogo, que marcou pela primeira vez com a camisa do Peixe.

O inusitado é que o golaço marcado pelo atacante santista aos 27 minutos do segundo tempo após lançamento de Felipe Anderson ocorreu instantes depois de Aranha defender uma cobrança de pênalti de Marcelo Nicácio e o Peixe despachar para frente.

Depois de abrir o placar com Bruno Aguiar, o Peixe não atacou mais e deu espaços para o Ceará reagir. Lutando contra o rebaixamento, o Vozão reagiu com Felipe Azevedo de pênalti aos 25, e Osvaldo, aos 36, premiado por ter sofrido o pênalti do gol de empate.

O zagueiro artilheiro marcou o segundo e abriu caminho para Diogo concluir e deixar o Santos na provisória oitava posição, com 51 pontos, mesmo número do Inter, que encara o Cruzeiro às 19 horas. Essa partida também define o futuro do Ceará, que pode entrar na zona de rebaixamento em caso de vitória da Raposa.

Na próxima quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Pacaembu, os titulares do Santos devem voltar a campo para encarar o Atlético-GO, que ocupa a mesma zona intermediária do Peixe. Na quarta, às 21h50, O Vozão recebe o Corinthians em duelo decisivo no Presidente Vargas.

O Jogo – Mesmo dando sinais da falta de entrosamento, principalmente na troca de passes no meio-campo, o Santos dominou as ações no primeiro tempo e soube ficar com a bola no campo de ataque com Felipe Anderson e Alan Kardec que, curiosamente, são dois dos que mais figuram entre os titulares do Peixe.

Ostentando a braçadeira de capitão, Ibson foi o primeiro a puxar o Santos para frente, logo no primeiro minuto de bola rolando. Com um passe longo para Alan Kardec, o companheiro não alcançou e a tentativa foi frustrada. Cinco minutos depois, o Ceará devolveu com cobrança de escanteio de Boiadeiro, que encontrou Daniel Marques no meio da área para cabecear por cima do gol.

No sexto minuto, Diogo recebeu sob forte marcação e deu o passe de calcanhar para Alan Kardec, que bateu de fora da área perto do gol de Fernando Henrique. Aos dez minutos, no entanto, a defesa do Ceará não conseguiria suportar o ímpeto do Santos, que enfim abriu o placar no Presidente Vargas.

Em escanteio cobrado por Felipe Anderson do lado direito do ataque, Alan Kardec subiu mais alto que a defesa do Ceará e tentou acertar o gol, mas a bola perdeu velocidade e sobrou para o zagueirão Bruno Aguiar, posicionado no meio da área, marcar com um carrinho.

Os minutos posteriores ao gol do Santos foram de grande pressão do Ceará, que não esmoreceu e partiu para cima do Alvinegro Praiano, assustando aos 12, quando Boiadeiro levantou pela direita e Osvaldo cabeceou por cima do gol e aos 18, quando o mesmo Boiadeiro cobrou falta e Possebon afastou o perigo.

Continua após a publicidade

Aos 21, Thiago Humberto recebeu na entrada da área e bateu para boa defesa de Aranha, que apareceu pela primeira vez na partida. Menos de cinco minutos depois, o goleiro santista não conseguiria evitar o gol de empate do Vozão.

Osvaldo recebeu passe longo e, na corrida, foi derrubado por Bruno Aguiar, que levou o cartão amarelo e não evitou a marcação do pênalti a favor do Ceará. Rasteiro, no canto esquerdo de Aranha, o ex-santista Felipe Azevedo deixou tudo igual.

Apesar da oportunidade criada por Felipe Anderson em cobrança de falta aos 28 minutos, quando acertou a trave, o jogador mais perigoso do Peixe não evitou que o time se voltasse demais para o campo defensivo e deixasse o Ceará pressionar.

Tanto que, aos 35 minutos, o time anfitrião finalmente conseguiu virar o placar, mais uma vez com base no talento de Osvaldo, que recebeu cruzamento rasteiro de Eusébio e empurrou, desequilibrado, para o fundo das redes.

Nos últimos instantes da primeira etapa, Felipe Azevedo e Osvaldo tiveram a bola nos pés e tentaram levar o Ceará para o ataque, sem que a defesa do Santos conseguisse marcar com precisão. O time sofreu um apagão e parou de jogar no campo de ataque, se limitando a cortar os lançamentos do adversário.

O segundo tempo parecia seguir a tônica do primeiro, principalmente quando Osvaldo fez um cruzamento perigoso na área santista, mas Aranha interferiu antes que o perigo aumentasse e Thiago Humberto arriscou de longe para outra defesa do goleiro.

Dessa vez, no entanto, o Santos conseguiu reagir, mais uma vez com Bruno Aguiar, aos cinco minutos, quando se aproveitou de uma falta perigosa cometida sobre Diogo para bater forte, no ângulo do goleiro Fernando Henrique, e marcar seu segundo gol, igualando o placar no Presidente Vargas.

Melhor depois do intervalo, o Santos bloqueou a iniciativa do Ceará e criou muito mais do que na primeira etapa com Diogo, que foi cortado por Eusébio aos nove minutos e Ibson, que chutou de primeira cinco minutos depois, frente a frente com o goleiro Fernando Henrique, mas não conseguiu converter.

Na única jogada efetiva da segunda etapa, o Ceará quase retomou a vantagem, quando Osvaldo recebeu lançamento da direita, dividiu com Ibson e caiu no chão. O árbitro marcou a penalidade, mas Marcelo Nicácio não deixou Felipe Azevedo cobrar e acertou o canto esquerdo do goleiro Aranha, que estava lá para praticar a defesa.

Na saída de bola, Éder Lima tocou para Felipe Anderson, que lançou Diogo sem marcação do outro lado do campo. O atacante santista esperou a bola bater no chão e acertou o ângulo do gol do Ceará, fazendo os paulistas reassumirem a vantagem aos 27 do segundo tempo.

Os minutos finais de bola rolando foram de um jogo muito aberto, com pressão e sustos dos dois lados e muito trabalho para Fernando Henrique e Aranha, que não permitiram um resultado diferente dos 3 a 2 a favor do Santos.

Continua após a publicidade
Publicidade