Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rei do Futebol, Pelé chega aos 71 anos de idade neste domingo

O futebol brasileiro está em festa. O maior jogador de futebol de todos os tempos, o Rei Pelé, completa 71 anos de vida neste domingo. Natural de Três Corações, em Minas Gerais, Pelé é dono de números expressivos e que dificilmente serão batidos, como os 1.247 gols marcados durante a sua carreira, além da incrível marca de 60 títulos conquistados.

Filho de Dona Celeste e Seu Dondinho – já falecido -, Edson Arantes do Nascimento chegou a Vila Belmiro aos 16 anos de idade, trazido por Waldemar de Brito, ex-jogador de São Paulo e Palmeiras. No Peixe, o primeiro apelido do Rei foi Gasolina – na sua infância, em Bauru, Pelé era chamado de Dico.

No Alvinegro Praiano, depois de quase abandonar o clube após um pênalti perdido em um campeonato juvenil, a carreira de Pelé deslanchou em um time que já contava com craques como Zito e Pepe.

Sempre com a camisa 10 santista, Pelé assombrava as defesas adversárias no futebol paulista, ganhando destaque e sendo convocado para a Seleção Brasileira, na Copa do Mundo de 1958, na Suécia. Peça importante na reta final da competição, o Rei ajudou o Brasil a ganhar o seu primeiro título mundial.

Na Seleção, Pelé ainda seria campeão mundial em 1962, no Chile, apesar de ter jogado pouco em virtude de uma contusão, e em 1970, no México, quando liderou aquela que foi uma das maiores equipes brasileiras de todos os tempos.

Porém, o Rei se imortalizou mesmo com a camisa do Santos e o número 10 nas costas. No Peixe, as conquistas de dez títulos paulistas, cinco da Taça Brasil e um Roberto Gomes Pedrosa (ambos equivalentes ao Campeonato Brasileiro da época, segundo reconhecimento da CBF), além de duas Copas Libertadores da América e dois Mundiais Interclubes, em 1962 e 1963.

Depois de pendurar as chuteiras pela primeira vez em 1974, pelo Alvinegro Praiano, Pelé ainda voltaria a jogar até 1977, defendendo o New York Cosmos e ajudando a divulgação do futebol como esporte nos Estados Unidos.

Após pendurar as chuteiras, Pelé gravou participações no cinema, foi ministro dos Esportes (1995 até 1998), além de viajar o mundo divulgando o futebol. No entanto, as polêmicas com o ídolo argentino, o ex-jogador Diego Maradona, sobre quem foi o melhor jogador de futebol de todos os tempos, também fazem parte da biografia do Rei.

Vale lembrar ainda que o presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, tentou convencer Pelé a integrar a delegação do Peixe que irá disputar o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão. O Rei jogaria poucos minutos de uma das duas partidas da equipe no Mundial, como ação de marketing, ideia que foi rejeitada pelo próprio Pelé.

Com tudo isso em sua trajetória, Pelé deve comemorar seu aniversário como sempre faz: longe dos holofotes, junto a seus familiares. Discreto, o Rei apenas tem como objetivo mais uma marca, conforme ele próprio já revelou: chegar aos 100 anos de idade e, quem sabe, participar de um jogo de futebol no Maracanã, palco do seu milésimo gol.