Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rebelo diz que saída da Delta do consórcio do Maracanã não atrasará obra

Por Da Redação 21 abr 2012, 18h26

Rio de Janeiro, 21 abr (EFE).- O ministro do Esporte brasileiro, Aldo Rebelo, afirmou neste sábado que as obras do estádio Maracanã, sede da final do Mundial 2014, não vão ser prejudicadas pela saída da Delta Construções do consórcio responsável pelas reformas.

Rebelo, em declarações à Agência Brasil, ressaltou que acredita na conclusão das obras na data prevista, em fevereiro de 2013, a tempo para a Copa das Confederações.

Diversos jornais brasileiros informaram na última sexta-feira que a construtora Delta, responsável por um terço da obra do Maracanã, será desvinculada do consórcio por causa do envolvimento com o empresário Carlinhos Cachoeira, suspeito de comandar um esquema de exploração de jogos ilegais.

A empresa, que não confirmou a informação, está sendo investigada pela Polícia Federal por depósitos milionários em empresas vinculadas à Cachoeira. As investigações foram informadas pela imprensa nas últimas semanas, o que gerou um escândalo e levou o Congresso a abrir uma comissão de investigação.

A Delta assumiu nos últimos anos vários contratos milionários, alguns deles relacionados com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. A companhia possui 30% do consórcio da Maracanã, em sociedade com Odebrecht (49%) e Andrade Gutiérrez (21%).

As obras do Maracanã estão aproximadamente na metade, segundo cálculos do consórcio, que emprega diariamente 5,2 mil trabalhadores. A reforma do estádio, inaugurado em 1950 para a Copa no mesmo ano, têm um orçamento de R$ 956,8 milhões. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade