Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Reality show do UFC acirra rivalidade entre os confinados

Com time verde, treinado por Vitor Belfort, vencendo por 3 a 0, lutadores da equipe azul, de Wanderlei Silva, declararam guerra contra os adversários

Por Da Redação 16 abr 2012, 10h12

“Basta ver quem machucou mais. O rosto do meu atleta está normal, mas vai olhar como ficou o adversário”, reclamou Wanderlei

Depois de quatro capítulos, o time de Vitor Belfort continua invencível no reality show The Ultimate Fighter. No episódio mostrado na madrugada desta segunda-feira, a edição do programa caprichou na rivalidade entre as equipes azul e verde, respectivamente treinadas por Wanderlei Silva e Vitor Belfort. Alguns atletas perderam a paciência com os companheiros de casa e declararam guerra ao time rival. A prometida imagem dos treinadores discutindo, que sempre aparece nas cenas dos próximos capítulos, continua sendo adiada.

Leia também:

Leia também: Na estreia do UFC na Suécia, nenhum brasileiro vence

Anistávio Gasparzinho, do time verde, mostrou que é o mais brincalhão na casa, mas nem todos aprovam o comportamento do lutador. No último capítulo, Gasparzinho “treinou” jiu-jitsu com uma estátua de leopardo, enquanto os outros confinados tentavam dormir. Não satisfeito, Gasparzinho resolveu acordar os companheiros espalhando creme de barbear no rosto. Quem não gostou da brincadeira foi Rony Jason, do time azul, que disse ter problema de insônia, e resolveu treinar antes das 5 da manhã, impedindo que os atletas da equipe adversária dormissem. No outro dia, Jason, em uma atitude típica de garotos de colégio, reclamou com Vitor Belfort sobre a atitude de seu atleta e pediu desculpas aos outros membros da equipe. Palavrões – O desafio escolhido pelo time de Vitor Belfort foi entre Rodrigo Damm, que já reclamou várias vezes das brincadeiras de Gasparzinho, e John Macapá, na categoria peso-pena. O confronto começou agitado, com os dois atletas se estudando e cautelosos com os ataques. Macapá tentava acertar golpes em pé, enquanto Damm, campeão de jiu-jitsu, insistia em levar o combate para o chão. Depois dos dois rounds combinados, a luta foi para o terceiro e decisivo assalto. Por decisão divida dos juízes, Rodrigo Damm foi o vencedor da noite, pontuando 3 a 0 para o time de Vitor Belfort. Wanderlei Silva e seus treinadores não concordaram com a decisão e saíram reclamando com vários palavrões. “Basta ver quem machucou mais. O rosto do meu atleta está normal, mas vai olhar como ficou o adversário.” Leia também: – TUF, reality do UFC, chega ao país – para aumentar febre – Reality do UFC não é show – e revela lutadores de verdade – UFC: lutadores imitam ‘discurso de boleiro’ e só se repetem

Continua após a publicidade

Publicidade